EscritArtes

Fugas => Escrita Contínua => Tópico iniciado por: josé antonio em Março 31, 2009, 11:15:05



Título: BLOCO DE NOTICIAS
Enviado por: josé antonio em Março 31, 2009, 11:15:05



NAOMI KLEIN – A ESQUERDISTA MAIS INFLUENTE DOS EUA
   
- Nasceu em Montreal em 5 de Maio de 1970.
- Em 1993 troca o curso de Ciência Política na Universidade de Toronto por um lugar na redacção do diário “ The Globe and Mail”.
- Em 1999 publica o seu primeiro livro “No Logo” do qual vende mais de um milhão de exemplares.
- Em 2002 lança “Fences and Windows: dispatches from front lines of the globalization debate”, recolha de textos sobre a globalização.
- Em 2004 produz com o marido, Avi Lewis, o documentário “ The Take “ sobre uma cooperativa operária argentina. Ganha o prémio de jornalismo James Aronson com uma reportagem sobre Bagdade.
- Em 2007 publica “ A Doutyrina do choque “ traduzido para 20 línguas.
Afirmação desta: “ Não sou utopista. Não sonho com uma sociedade ideal. Prefiro falar das coisas que existem.”.



SUSAN TSVANGIRAI – (1958-2009)

Mulher do primeiro-ministro do Zimbabué, foi empresária no ramo da costura. Criou uma fundação para a apoiar os pobres e os seropositivos, sobretudo mulheres e crianças.


TULIO PINELLI – (1908-2009)

Guionista de Fellini – numa longa parceria com o realizador Frederico Fellini, morreu no dia 7 de Março em Roma com 100 anos. Advogado e dramaturgo em Turim, sua terra natal, era trintão quando se dedicou aos filmes, tendo escrito mais de setenta.


                                  DITOS FANTABULOSOS

Presidente da Geórgia: - “ Não abriremos as portas aos tanques russos, mas as nossas portas e o nosso coração estão abertos aos investidores e turistas russos.”

MIYAKO SUDA – membro da comissão de política monetária do Banco do Japão – “ A economia japonesa caiu de uma falésia num vale profundo e vagueia por entre a lama e o nevoeiro espesso.” – Grande poema.

MAZIN AL-SHIBAN – director de refugiados de Bagdade – “ – Se dermos dinheiro às viúvas, hão-de gastá-lo de uma forma qualquer, pois não têm instrução.”

GORDON BROWN – PM britânico – “ Duas vezes mais oportunidades para investir, duas vezes mais prosperidade e uma forte subida de rendimentos para a classe média “ – são as suas previsões para as próximas duas décadas.

PATJE BLAUWERS – belga de 44 anos de idade – conseguiu emprego como talhante após 28 anos de desemprego. A primeira convocatória da agência de emprego chegou-lhe 15 anos após a sua inscrição.

MIKHAIL KHODORKOVSKI – ex-director da petrolífera russa Yukos – a cumprir nove anos de prisão por fraude fiscal, cujo julgamento iniciado no dia 3 de Março pode valer-lhe mais 22 anos. – “ Prometo sinceridade, clareza e nenhuma tentativa de me esquivar. Garanto-vos um espectáculo interessante.”


O CONSUMISMO ARRASTA CADA VEZ MAIS PORTUGUESES PARA A FALÊNCIA FAMILIAR – o que importa é ter o último telemóvel, um bom carro e não renunciar às férias. Para isso, pedem créditos que depois não pagam…
 

O FIM DA INOCÊNCIA – Moscovo – sonhando com um futuro melhor, jovens da província migram para a capital russa. Têm um único trunfo: a virgindade. É ela que dá título a um documentário que lhes é consagrado e que está a fazer correr muita tinta.


OS SENHORES DAS FALÊNCIAS – num clima de recessão, alguns operadores que transaccionam dívidas, lucram com os fracassos de outros. Os chamados “fundos abutre” actuam na orla do mercado, cercam as empresas em dificuldade com a finalidade de as controlarem.

José António (31 de Março de 2009)


Título: Re: BLOCO DE NOTICIAS
Enviado por: Goreti Dias em Março 31, 2009, 19:54:55
Como fim, não podia ser melhor!
"OS SENHORES DAS FALÊNCIAS – num clima de recessão, alguns operadores que transaccionam dívidas, lucram com os fracassos de outros. Os chamados “fundos abutre” actuam na orla do mercado, cercam as empresas em dificuldade com a finalidade de as controlarem."


Título: Re: BLOCO DE NOTICIAS
Enviado por: Carlos Rodrigues em Abril 19, 2009, 00:37:31
"O CONSUMISMO ARRASTA CADA VEZ MAIS PORTUGUESES PARA A FALÊNCIA FAMILIAR – o que importa é ter o último telemóvel, um bom carro e não renunciar às férias. Para isso, pedem créditos que depois não pagam…"
 

E assim vivem todos numa espécie de de "felicidade" agarrados ao vazio e esquecendo o essencial.