EscritArtes

Textos => Ensaio => Tópico iniciado por: gdec2001 em Novembro 13, 2013, 20:50:39



Título: O nascimento de um génio
Enviado por: gdec2001 em Novembro 13, 2013, 20:50:39


O nascimento de um génio


Manuel era um rapaz
bastante capaz
na escola do bairro
em que andava,
que frequentava.
Seu livro de leitura
tinha um belo trecho
que era como este
as linhas do texto
não chegavam
ao fim
das linhas do papel.
Que era poesia diziam  ao Manuel
-e, por isso, vou acabar com esta porcaria - .
   O Manuel gostou, gostou mesmo muito daquele texto e, por isso, resolveu que seria poeta. E começou a tentar fazer versos como aqueles e outros parecidos que encontrou também no seu livro de leitura .
   Só que não parecia capaz embora capaz ele fosse, capaz de ler, de escrever.
   Mostrou então os seus versos ao amigo Joaquim que era o melhor aluno e o Joaquim riu-se dele e também, um pouco, para ele, não fosse ele zangar-se porque o Manuel era um bom amigo.
   Manuel jurou então nunca mais fazer versos e foi continuando a sua educação  sempre gostando da poesia e da outra literatura que conhecia, até que tirou uma licenciatura em letras.
   Depressa conseguiu um emprego num jornal e por isso começou a escrever reportagens.
   O director gostou muito e sabendo que o Manuel era doido por leitura desafiou-o a fazer crítica .
   O Manuel aceitou mas resolveu assinar-se Ruissano, não sei bem porquê.
   E a primeira crítica que fez foi a um célebre poeta que ele não compreendia e foi isso mesmo que ele disse na sua crítica .
   O director chamou-o e disse-lhe : V. é doido homem, então não sabe que o seu criticado é o melhor poeta português da actualidade e mesmo deste século contando também o Sec. XX porque este só agora começou , homem ?
E disse o Ruissano: Mas a verdade é que eu não percebo nada do que ele escreve e creio que isso acontece com a maior parte das pessoas. O Sr. director percebe, por acaso ?
   Eu não, homem, mas quem é que quer perceber  esse génio. Se o pudéssemos perceber ele não seria um génio, homem . Perceba você isto se quer continuar a servir esta casa e a nossa nobre causa, homem.
   E o Ruissano percebeu.
   Escreveu então outra crítica sobre o mesmo poeta dizendo que era um génio como ele já dissera na primeira crítica mas que parecia que alguns leitores, ainda não versados naqueles sacrossantos assuntos, não a entenderam.
   E dizia mais que  "a impermeabilidade do estro outorgado ao vate assinalado -maldita rima- era uma prova de que os deuses o haviam escolhido para ser a sua voz neste recanto tão perturbado - outra vez ? -  do nosso universo contracionário ."
   O director chamou-o novamente mas para o felicitar pelo texto "que honra o nosso jornal ". Fez-lhe apenas um pequeno reparo sobre as rimas que apareciam aqui e ali e que agora já não se usam , homem.
   Ruissano prometeu emendar-se e começou a escrever outro texto no computador esperando que este misturasse as palavras de maneira que ficassem completamente incompreensíveis porque assim era necessário para louvar outro génio da nossa terra.
   E pensou :
   Qualquer dia mando para as malvas o juramento que fiz quando era criança. Esperem se querem assistir ao nascimento de um génio.
     
    Geraldes de Carvalho

 


Título: Re: O nascimento de um génio
Enviado por: Goreti Dias em Novembro 13, 2013, 22:07:02
Olhe que sou obrigada a concordar que muitas vezes assim é. Outras vezes não percebemos porque não queremos maçar a cabeça a refletir naquilo que os outros escrevem ou dizem. Nem tanto ao mar nem tanto à terra! Venha daí o génio (inteligível)!


Título: Re: O nascimento de um génio
Enviado por: gdec2001 em Novembro 14, 2013, 00:31:58
Minha cara Goret :
Eu considero-me um profissional da interpretação . Trabalhei nisso a vida inteira . Cheguei a aprender que há textos que não podem ser interpretados com a cabeça . Têm de ser interpretados com o coração e ganham em beleza . O que me irrita é que há por aí escritores que escrevem sem sentido nenhum , nem racional nem emocional . E alguns desses escritores são badalados como se fossem génios por gente que nem os lê mas que teme ser considerada burra se não os exalçar . Uma experiência que me habituei a fazer foi a de perguntar a mim mesmo depois de ter lido um texto : O que é que isto quer dizer?Se não for capaz de exprimir nem um pensamento nem uma emoção já sei que aquilo é lixo . A minha satisfação é saber que aqueles que escrevem e nada dizem não sobreviverão . V. pode lembrar certamente muitos que só são conhecidos por terem estado ligados a escolas com nomes tão esquisitos como eram as coisas que escreviam . É isto que penso .
Abraço
geraldes   


Título: Re: O nascimento de um génio
Enviado por: Goreti Dias em Novembro 14, 2013, 07:40:07
Completamente de acordo!


Título: Re: O nascimento de um génio
Enviado por: Maria Gabriela de Sá em Janeiro 05, 2014, 13:21:16
"Minha cara Goret :
Eu considero-me um profissional da interpretação . Trabalhei nisso a vida inteira . Cheguei a aprender que há textos que não podem ser interpretados com a cabeça . Têm de ser interpretados com o coração e ganham em beleza . O que me irrita é que há por aí escritores que escrevem sem sentido nenhum , nem racional nem emocional . E alguns desses escritores são badalados como se fossem génios por gente que nem os lê mas que teme ser considerada burra se não os exalçar . Uma experiência que me habituei a fazer foi a de perguntar a mim mesmo depois de ter lido um texto : O que é que isto quer dizer?Se não for capaz de exprimir nem um pensamento nem uma emoção já sei que aquilo é lixo . A minha satisfação é saber que aqueles que escrevem e nada dizem não sobreviverão . V. pode lembrar certamente muitos que só são conhecidos por terem estado ligados a escolas com nomes tão esquisitos como eram as coisas que escreviam . É isto que penso .
Abraço
geraldes"

Subscrevo inteiramente. Quem diz poetas, diz escritores, Eu comecei já um livro por três vezes e fico perdida numa  casa onde um homem tem uma mulher na cabeça e um gato constantemente a atazanar-lhe a paciência.


Título: Re: O nascimento de um génio
Enviado por: Maria del Mar em Março 21, 2014, 15:13:27
Não há muito para comentar. Já foi dito o que havia a dizer. Não pude deixar de rir. É que assim é muitas vezes. Venha daí o  génio :fixe:


Título: Re: O nascimento de um génio
Enviado por: gdec2001 em Outubro 07, 2014, 17:34:40
...génio...génio... . Génio não é fácil, amiga .
Agradecido pelo comentário .
geraldes


Título: Re: O nascimento de um génio
Enviado por: Violeta Maria em Outubro 28, 2014, 15:36:16
E assim se encontram... ou se perdem verdadeiros génios!
Gostei muito, "Génio renascido", que de Manuel passou a Ruissano... E com rimas ou sem rimas... é realmente um génio!
  :fixe:


Título: Re: O nascimento de um génio
Enviado por: Oswaldo Eurico Rodrigues em Março 23, 2015, 13:06:20
Lembrei-me do meu tempo de graduação e também da época em que era garoto e me achava incrivelmente incapaz de ler alguns autores. Para minha felicidade, descobri que nem sempre o problema estava comigo ou com outro leitor. As letras, as vezes, comportam-se mal (ou seria o autor que não as ensina e serem mais comportadas? - Rsrs)

Grande abraço, Geraldes
Ótimo refletir sobre o seu texto.

Oswaldo


Título: Re: O nascimento de um génio
Enviado por: gdec2001 em Dezembro 10, 2015, 01:21:52
Obrigado amigos Oswaldo e Violeta .
vosso
geraldes