EscritArtes

Geral => Apresentações => Tópico iniciado por: António Casado em Dezembro 10, 2013, 01:11:25



Título: APETECE MORRER
Enviado por: António Casado em Dezembro 10, 2013, 01:11:25
António Casado__________27 Setembro 2011


APETECE MORRER
-


Ninguém morre…
Nem quando o chão cobre de terra as covas fundas
Onde os cadáveres são depositados como coisas sem valor
Para marcarem no desanimo das horas
Algumas lágrimas e alguma saudade…

Que faço aqui?
A vida já me deu tudo o que tinha a dar…
Que mais posso querer ou desejar?
Um barco quebrado junto às rochas…?
Uma flor esmagada até a seiva se diluir no chão…?
Que mais posso querer da vida?

Pedra a pedra construí o meu muro e fui envelhecendo
Dentro das paredes frias, húmidas e escuras,
Da minha prisão imaginada…
Resta de mim apenas uma sombra… uma faca…
Que importância tem?
Sou mais um a viver a ilusão de uma liberdade
Por mim inventada para me sentir feliz e realizado…

Os meus despojos vagueiam de lodo em lodo
Vivendo a fictícia ilusão de uma vida que perdeu o sentido
Onde o caminho – se algum houve –
Foi apenas uma nuvem passageira num céu de trovoadas…

Tudo perdi neste sonambulismo latente de querer viver…
Mas viver o quê? Para quê
Se a morte é o ponto final de todas as dores
E a vida o sinal de que elas aconteceram?



Título: Re: APETECE MORRER
Enviado por: Goreti Dias em Dezembro 10, 2013, 12:12:55
Quantas vezes, a ilusão é tudo o que nos resta!


Título: Re: APETECE MORRER
Enviado por: josé antonio em Dezembro 11, 2013, 16:13:33
Admito ter dias de insatisfação com a vida, mas de forma alguma valerá a pena morrer!

Nem os poetas devem admitir tal! Ou não sejam poetas... fingidores...

Abraço

JA