EscritArtes

Textos => Poesias => : gdec2001 May 30, 2017, 17:49:08 PM



: Maromania
: gdec2001 May 30, 2017, 17:49:08 PM

Maromania

No dia em que eu enlouquecer
hei-de fugir para o mar .
Hei-de dar toda a vela ao meu barquinho
para que ao anoitecer
seja apenas um ponto a cintilar
na vastidão dos céus...
E eu sozinho
caminhando para deus
por mar
possa enfim meditar
pela primeira vez:
Quem sou eu
afinal?
Silêncio .
Uma estrela
acaba de acordar .
Não vês como ela é bela ?
Vem em manto de noite
e iluminou o mar .
O mar...
Não vês ao longe
uma multidão vogante
que anda à tua procura
errante ?
Vai depressa
vai dar-lhe sepultura.
E eu
atentando nela
que é só um grito
que segue a procela
e por mão soçobrar
se julga divina
como o próprio Cristo
hei-de gargalhar.
E saltando da barca
com uma palavra
fá-los-ei cair
aos trambolhões
no nada.
E a vela
sozinha
há-de perder o rumo.
Já não vou
para o céu .
-Mãezinha, mãezinha :
Olha o que sonho eu -
E já não chego ao céu.
Hei-de me transformar
numa alma penada
vogando sobre o mar.
E há-de romper a madrugada
e pelo silêncio profundo
eu hei-de constatar
que estou sozinho no mundo
com a minha loucura
vogando sobre o mar.
Eu hei-de pertencer
a cada vaga
que se esmaga
contra a areia.
Hei-de ir em cada gota
que se alteia
defronte aos continentes.
Eu hei-de ressuscitar
todas as gentes.
E a quem me perguntar:
Mas quem és tu ?
Eu direi numa onda:
Eu sou o tipo excelso dos dementes .
Que ninguém me responda
que ninguém me escarneça
porque no mesmo instante
eu serei um gigante
que luta com o mar
e se ele me vencer
hei-de me transformar
enfim
numa mulher.
E nesse novo estado
que venha quem vier .
Serei mais forte do que o mar
mais forte do que o continente inteiro
mais forte do que deus e o diabo.
Mais forte do que deus !
E Deus há-de falar.
E fazendo de mim
um átomo de areia
há-de fazer-me assim
como quem faz à dor:
Há-de me sepultar
no fundo do oceano.
Ali uma sereia
há-de dar-me a comer
a uma alga marinha.
E essa alga que sou eu
quanto ela há-de sofrer
a alga
pobrezinha .
Há-de ser alimento
de um peixe...
E Deus vendo a tendência
que eu tenho para crescer
Talvez sorrir se deixe.
Aquilo é da demência
ouvi-lo-ão dizer.
E expulsado-me enfim
do mar do oceano
há-de fazer de mim
o nada no humano.
E para completar
a minha desventura
Há-de me ainda tirar
a loucura
a loucura...

Geraldes de Carvalho
de Sombras de Alma .
Coimbra 1955
 


: Re: Maromania
: carlossoares May 31, 2017, 21:23:32 PM
Grande Poeta!

Estava a conjeturar que este seria um dos poemas da sua juventude, tal o fôlego, o ímpeto, a ambição. E acertei. Coimbra, 1955. A minha Coimbra foi de 1978, em diante. Por um poema, qual paixão, ou loucura, era capaz de sacrificar um exame.
Em Coimbra, estudante que não escreve poemas não é estudante, nem sabe o que é verdadeiramente estudar.
Obrigado, caro poeta, grande poeta, por estes versos e por me ter feito lembrar da torre de Anto.
Um abraço amigo


: Re: Maromania
: Goreti Dias June 01, 2017, 07:02:18 AM
Não tendo frequentado Coimbra, entendo o ímpeto desta escrita. Excelente!


: Re: Maromania
: Nação Valente June 02, 2017, 20:09:18 PM
Li, reli e gostei.


: Re: Maromania
: gdec2001 September 07, 2017, 01:47:24 AM
Muito agradecido meus amigos .
Também eu amei este poema .Era o que eu gostava de declamar...quando declamava .
abraços
geraldes


: Re: Maromania
: Goreti Dias September 22, 2017, 19:56:44 PM
Vim reler. E gostar de novo!


: Re: Maromania
: gdec2001 September 28, 2017, 16:43:36 PM
Muito obrigado,amiga.

Um abraço

geraldes


: Re: Maromania
: Dionísio Dinis January 24, 2021, 14:44:39 PM
Um acto de poesia insubmissa com a genialidade de rejuvenescer a cada palavra.


Sorry, the copyright must be in the template.
Please notify this forum's administrator that this site is missing the copyright message for SMF so they can rectify the situation. Display of copyright is a legal requirement. For more information on this please visit the Simple Machines website.