EscritArtes

Textos => Poesias => Tópico iniciado por: Figas de Saint Pierre de em Outubro 22, 2019, 14:12:38



Título: EVOLUÇÃO DA GOVERNAÇÃO!
Enviado por: Figas de Saint Pierre de em Outubro 22, 2019, 14:12:38
EVOLUÇÃO DA GOVERNAÇÃO
Portugal, saído duma monarquia,
Com D. Carlos já a viver do calote,
Em situação de bancarrota,
Revolucionou-se numa República,
E assim publicado houve convulsões,
Num país com mão à caridade estendida,
Riqueza só a dívida!!
Até que surgiu um tal Salazar;
Um técnico de contas,
Que fez contas à vida e logo deu em poupar,
Poupar ao tostão e pouco gastar!!
Muito ouro amontoou e governou,
Governou e contas acertou,
Ninguém nele mandava!
Mandava em todos os portugueses,
E quem se atrevesse a contrariar,
logo o engaiolava anos ou meses!!

Mandou milhares para a guerra,
“Angola é nossa”, dizia,
E castigou quem de Goa fugia,
Até que um dia, pimba, pumba!
Duma cadeira caiu! Morreu! O poder tremeu!
E, “Ó c'um caetano!”, logo veio um Marcelo,
Com conversas de família, com homilias de tretas,
Para o poder segurar, mas que não segurou!

Soldados da guerra queriam regressar,
Capitães fizeram revolução avançar,
Salgueiro Maia foi ao Largo do Carmo
Buscar o Caetano.
Depois foi o 25 de abril em ação
E o entusiasmo da nação,
Eleições quase sem abstenção,
A Democracia em seus passos,
Nos começos alguns tropeços e embaraços,
Até que Portugal entrou na Europa,
E milhões entraram, vindos de Bruxelas,
Dos quais os democratas logo fizeram gamelas,
Com os políticos nos milhões a chafurdar,
Num carrossel familiar,
De roubos, desvios e corrupções um fartote,
Sem ninguém fazer lhes Stop,
Com muitos doutores e engenheiros
Peritos em desvios de dinheiros,
E ouro do Salazar a vender.
Entretanto, em cada eleição!

A abstenção a aumentar e a dívida a engrossar!
Não uma só vez, mas três, a Bancarrota se repetiu,
Portugal ao FMI a mão estendeu!
E o povo a não perceber
Como foi que um só tanto poupou, poupou,
As contas acertou, mas agora,
mesmo com um espírito santo na banca,
o povo se espanta por os governos tal mal governarem,
mas tão bem governarem-se!!!

A razão de tal mistério, é, dizem, Salazar ser sério,
Solteiro e Sem mulher, para dinheiro lhe gastar,
Ao contrário dos nossos democratas,
Que tem mulheres, filhos, primos, sobrinhos, genros,
Netos e Suas namoradas para ajudar,
Com a ajuda dum Espírito Santo,
que entrou na liça, até para abençoar a justiça!

Agora, perante tal situação,
Com tão grande dívida da nação,
De dever mais do que ganha,
Há quem preconize na política o celibato,
Para não tantos a meterem a mão no prato,
Para evitar que mais metade de Portugal não vá votar
E que fique em casa, a ouvir, o Zeca Afonso, com o:
“Eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada”!!!

Que adianta o povo ter andado a votar?

Um só a governar muito poupava!
Agora, são muitos a roubar, a corromper, a desviar,
e milhões e milhões a off-shorar!! Que adianta o Povo votar?
Para ser roubado? Querem que seja masoquista?
Ó valha-nos o Espírito Santo, mas não o do banco!
Esse alimenta os diabos, a família e os mais chegados.
Afinal, a solução é simples, ser sério.
A seriedade é a chave de boa governação. Assim, não!

No fim disto tudo, Portugal,
mais velho e com menos população,
mas com melhor tecnologia,
temos o maior governo de sempre em democracia!
Mais ministérios, mais ministros,
mais secretários e subsecretários,
mais assessores, mais motoristas!
Enfim, possivelmente, como se ainda não chegasse,
teremos mais corrupções a dar nas vistas,
a não ser que o lítio,  marca galamba, lave mais branco!
….xxx….
Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque