EscritArtes

Textos => Arquivo Cronicas => Tópico iniciado por: Nina Araujo em Agosto 25, 2008, 22:04:07



Título: As Amizades
Enviado por: Nina Araujo em Agosto 25, 2008, 22:04:07
As Amizades



Carlão sabia como ninguém conquistar amigos nos moldes atuais de mercado.
Sem dúvida, em primeiro lugar era preciso ter uma inteligência competitiva em sua opinião de expert, depois investir corretamente nos amigos em potencial, agir com sutileza, de forma utilitarista e fria.
Só abordar os amigos que possuíssem altos investimentos, gerenciar a concorrência e jamais aceitar perder tempo com gente sem grana, afinal, um amigo leva tempo para conquistar e laços duradouros só valem a pena se forem compensatórios.
Tudo isso era real em sua vida, até o dia que caiu doente no hospital caro, e foi gastando toda a grana que tinha acumulado.
Pobre e sozinho já que seus amigos também pensavam como ele, chegou ao ponto de ficar à mercê do velho e bom tio Davi, aquele mesmo que o sobrinho desprezava por ser pescador.   
Hoje mais humilde, e se recuperando enquanto olha a janela, vislumbra dias melhores e pensa em comprar um barco de sociedade com o tio, aprender a conviver com aquelas pessoas simples que lhe deram caldo quente, maças e carinho verdadeiro, como jamais recebera na vida, e também quer tentar o caminho inverso, ou seja; saber como funciona o conquistar amigos nos moldes da verdade e do coração.
Nada como deixar de ser mercadoria para se tornar gente!




Nina Araújo


Título: Re: As Amizades
Enviado por: Goreti Dias em Agosto 26, 2008, 12:09:20
Se conseguir ter tempo de aprender, será bem mais feliz! A amizade não se faz à custa de dinheiro. A riqueza é, tantas vezes, o maior inimigo da amizade e do amor!
Abraço


Título: Re: As Amizades
Enviado por: Nina Araujo em Agosto 26, 2008, 13:35:32
Agradeço o comentário tão carinhoso da Conceição.
E também aos seus Goreti que são inspiradores... Beijos para as meninas,Nina. :)


Título: Re: As Amizades
Enviado por: Laura Gil em Agosto 26, 2008, 22:02:09
A amizade não está que fazemos mas no que recebemos.
Brilhante momento de reflexão.
Beijo
Laura