EscritArtes

Textos => Arquivo Cronicas => Tópico iniciado por: Antonio em Outubro 12, 2007, 11:59:58



Título: O deslize do Bolinhas
Enviado por: Antonio em Outubro 12, 2007, 11:59:58
Ano lectivo 1960/61.
Liceu de Alexandre Herculano, no Porto.
Turma B do 2º ano.
No intervalo que precedeu uma aula de português, o Bolinhas, alcunha pela qual era conhecido um dos colegas (hoje, psiquiatra e poeta) devido ao seu porte anafado, teve um problema intestinal mesmo, mesmo quando estava a tocar para a entrada. O pobre do rapaz tinha de decidir rapidamente correr para uma casa de banho e chegar atrasado à aula o que, dada a severidade que reinava nas escolas daquele tempo, lhe acarretaria uma falta e alguns dissabores, ou aguentar.
O facto é que não aguentou!
Mas, mesmo todo borrado, estoicamente foi assistir à aula.
Ao contrário do que se poderia pensar, não houve grande alastramento de cheiro.
Mas o desgraçado do Pinduca, o colega que estava atrás dele (hoje engenheiro e presidente de uma importante Câmara Municipal) é que se sentiu fortemente afectado. E não deixou de o dizer várias vezes ao professor Cruz Lopes:
- Sr. Doutor. Aqui cheira muito mal!
- Sr. Doutor. Este menino cheira mal!
(reparem que naquele tempo não havia Setôr nem meio Setôr)
Mas recebia invariavelmente a resposta:
- Cale-se, e preste atenção à aula!
O fedor devia ser imenso pois a cara do Pinduca metia dó, apesar de tentar afastar o cheirete com a mão a funcionar como um leque.
E o Bolinhas, mais vermelho do que nunca, caladinho.
E a aula terminou, 50 minutos depois, ao toque da campaínha.
Seguia-se a aula de francês com uma senhora já velhota, a Dr.ª Florisa Costa.
Começa a aula e pasme-se, o Bolinhas estava exactamente na mesma. Só que ainda mais vermelho pois no intervalo tinha sido bem "cheirado" e bem "gozado" pela malta. Talvez por isso nem tenha tido o discernimento de resolver o problema.
E no Francês, o Pinduca continuou:
- Sr.ª. Doutora. Aqui cheira muito mal!
- Sr.ª. Doutora. Este menino cheira mal!
Mas, talvez porque agora o odor estivesse mais disseminado, ao fim de alguns minutos a professora aproximou-se dos dois. Fez uma careta e perguntou o que se tinha passado. Foi o Pinduca, já um bocado amarelo, quem lhe explicou a situação.
E a Dr.ª Florisa lá disse ao Bolinhas para se ir lavar, tendo tido o cuidado maternal de chamar um contínuo para dar uma ajuda ao moço.
A aula continuou, naturalmente, mas o Pinduca só na hora seguinte voltaria à sua cara normal.
Ao fim de uns 15 ou 20 minutos, lá entrou o Bolinhas com as cuecas embrulhadas em papel de jornal que colocou junto aos pés.
Não sei se tinham sido lavadas ou perfumadas, mas o Pinduca não se queixou mais.
Juro que esta história é rigorosamente verídica, com alcunhas e tudo.
Eu, que gosto de meditar nas coisas, ainda hoje me pergunto se não terá sido este episódio quem deu o "empurrão" ao Bolinhas para a Psiquiatria!


Título: Re: O deslize do Bolinhas
Enviado por: Goreti Dias em Outubro 12, 2007, 12:38:52
Quem sabe! Já tive situações dessas nas minhas salas... mas eu costumo dar conta antes de grande confusão se alastrar... não vá começarem todos a quererem ser psiquiatras!
Um abraço


Título: Re: O deslize do Bolinhas
Enviado por: Antonio em Outubro 12, 2007, 12:54:41
Olá!
Obrigado pelo comentário.
E nunca usaste desodorizantes?
ihihihih
Beijo


Título: Re: O deslize do Bolinhas
Enviado por: Jorge Luiz Alves em Outubro 15, 2007, 16:41:06
Uau! Que figura, este Bolinhas! Um abraço do Jorge.


Título: Re: O deslize do Bolinhas
Enviado por: Antonio em Outubro 15, 2007, 17:16:25
Uma jóia de moço, o Bolinhas.
Já não o vejo há décadas.
Tenho pena!
Abraço