EscritArtes
Novembro 22, 2019, 10:49:53 *
Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Notícias: 8.¬™ Colect√Ęnea - 8.¬ļ Anivers√°rio Escritartes
http://www.escritartes.com/forum/index.php/topic,36064.0.html
 
  Início   Fórum   Ajuda Entrar Registe-se   *
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Na Kaiserstrasse  (Lida 1449 vezes)
0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.
Antonio
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 723
Convidados: 0



WWW
« em: Setembro 21, 2007, 21:27:51 »

No dia vinte e dois de Março de 1972, cedo como de costume, deixamos a cidade industrial de Ludwigshafen onde pernoitáramos duas noites e fizéramos uma visita de estudo à BASF, e rumamos a uma das mais importantes cidades da Alemanha (na altura só a ocidental, pois a reunificação dar-se-ia vários anos mais tarde) e da Europa:
Frankfurt.
Cidade moderna, com grandes arranha-c√©us e um bul√≠cio intenso, quer de viaturas quer de pessoas, n√£o deixa de ser atraente. Sem importantes monumentos antigos, faz a compensa√ß√£o com o arrojo e vanguardismo de algumas solu√ß√Ķes arquitect√≥nicas.
Chegamos cedo pois, al√©m de a dist√Ęncia ser curta, aquele pa√≠s j√° tinha √† √©poca uma espectacular rede de auto-estradas. Al√©m disso t√≠nhamos de fazer uma outra visita de estudo: desta vez √† Lurgi.
Por isso, mal terminamos as arruma√ß√Ķes no hotel, fomos para a referida empresa onde demos uma r√°pida voltinha. A firma n√£o era particularmente aliciante para ver, mas t√≠nhamos de cumprir os m√≠nimos por causa dos subs√≠dios. L√° almo√ßamos e por volta das quatro da tarde j√° est√°vamos a abandonar o hotel. T√≠nhamos de aproveitar o resto do dia pois, na manh√£ seguinte, seguir√≠amos para Col√≥nia (Koln).
E fomos saindo. Os rapazes que tinham namorada tiveram que gramar umas idas aos grandes armazéns e a shoppings (já os havia por lá, nesses tempos).
O meu amigo Jacinto (sempre ele) tinha trazido, entretanto, indicação para irmos ver um espectáculo numa casa chamada Bar Europa. Não sabíamos o que era, exactamente, mas as referências indicavam que se tratava de coisa muito adequada a homens,
Ficava numa transversal da Kaiserstrasse (rua do Imperador).
Esta rua larga e comprida nascia exactamente na Esta√ß√£o do Caminho-de-ferro (a que n√≥s nos habitu√°ramos a tratar pelo nome em alem√£o: ‚Äúbahnhof‚ÄĚ) e estendia-se √† sua frente.
N√£o sei se j√° repararam que nas cidades portu√°rias, as ‚Äúzonas‚ÄĚ mais importantes de sexy-shops, cinemas porno, meretr√≠cios e quejandos, se situam perto dos cais.
Nas cidades de interior, como Frankfurt, essas ‚Äúzonas‚ÄĚ localizam-se preferencialmente junto das esta√ß√Ķes dos caminhos-de-ferro.
Não é sempre assim, mas é-o a maior parte das vezes.
E lá fomos os dois, em busca da rua da perdição.
Perguntamos a um taxista que nos explicou e percebemos tudo facilmente. Também era perto e bom caminho. Por isso mesmo fomos a pé.
Ainda t√≠nhamos um bom bocado da tarde e a noite para apreciarmos bem as √ļltimas ‚Äúmodas‚ÄĚ alem√£s.
Os primeiros dois terços da rua eram normalíssimos.
Só na terceira parte (caminhando para a estação) é que começavam a aparecer as lojas, cinemas, bares e similares.
Fomos até ao final (ou início, se quiserem) da rua para fazer o primeiro reconhecimento do terreno.
Depois viemos para trás e começamos a fazer uma prospecção sistematizada das transversais.
Numa delas havia um bar que, por razão que não recordo, nos chamou a atenção. Parámos à sua porta e espreitamos lá para dentro para ver melhor de que tipo era. E um chulote qualquer começou a perguntar-nos, nas línguas respectivas, a nacionalidade: jugoslavos? turcos? espanhóis? brasileiros? e mais duas ou três. Fomos respondendo que não. Finalmente:
- Portugueses?
Respondemos afirmativamente.
E n√£o querem saber que o homem nos mandou para a rua com maus modos?
Parece que alguns compatriotas nossos tinham feito estragos naquele meretrício.
Ainda se podia ver o sol. Continuamos a pesquisa.
A certa altura, noutra das transversais, deparamos com uma porta aberta. Por cima, um letreiro luminoso (embora apagado, no momento) tinha escrito: ‚ÄúParadise‚ÄĚ. Espreitamos pela porta e s√≥ v√≠amos umas escadas que desciam para um piso inferior. O revestimento era todo a mosaico de cor azul clara. O aspecto geral era o de uma instala√ß√£o nova. Como j√° est√°vamos escaldados, resolvemos dar uma olhadela por fora. Mais adiante havia uma porta e escadas semelhantes. Com uma diferen√ßa: A primeira dizia Eingang e a segunda Ausgang (entrada e sa√≠da, respectivamente).
Resolvemos entrar. Descemos as escadas e deparamo-nos com uma cave com as paredes todas revestidas a mosaico azul celeste e com algumas portas forradas a cabedal.
A √°rea era enorme; talvez uns quarenta metros por vinte, talvez um pouco menos. E, nesse enorme √°trio, dezenas de ‚Äúmeninas‚ÄĚ em trajos sumar√≠ssimos faziam trottoir. Eram quasi todas jovens e algumas lindas de morrer. Entre as prostitutas, andavam homens a apreciar e apre√ßar as pequenas. Quando chegavam a acordo, iam para uns quartinhos atrav√©s das tais portas com couro.
Apreciada esta novidade, subimos e saímos.
Logo adiante, na esquina da rua principal com uma das que lhe eram perpendiculares, mas com entrada pela secund√°ria, apareceu o letreiro: BAR EUROPA.
Era o que procur√°vamos.
Perguntamos a um velho porteiro se estava aberto. Respondeu que n√£o.
- E quando é possível entrar?
- A partir das nove horas.
- E qual é o preço?
- Um marco ‚Äď disse o homem.
Olhamos um para o outro. Oito escudos? Só?
- E n√£o √© preciso pagar mais nada? ‚Äď interrogamos o sujeito.
- Sim, claro, o que beberem.
E mostrou-nos um cardápio com os preços que eram bastante baratos.
Entretanto perguntamos se podíamos dar uma espreitadela para o interior.
- Sim! As meninas est√£o a ensaiar ‚Äď disse o simp√°tico homem.
E espreitamos. Havia um palco ao fundo e, vestidas com uma esp√©cie de fato de treino todo branco e muito justo, cinco ou seis mulheres ensaiavam colocando-se em posi√ß√Ķes um tanto heterodoxas.
- J√° chega! ‚Äď disse o guarda.
E terminou esta pequena conversa toda ela em inglês. Este idioma já se perfilava como o mais usado em todo o tipo de negócio em qualquer parte do mundo.
Feito este aparte, podemos dizer que o pouco que vimos aguçou-nos o apetite.
E continuamos o nosso passeio olhando para tudo aquilo com um ar de algum espanto.
A certa altura resolvemos ir ver um filme.
Era sessão contínua. Exibiam vários, uns a seguir aos outros, sem intervalo. O espectador entrava, ia vendo, e quando estivesse farto, saía.
Não demoramos muito tempo. O pedaço de filme que nos apareceu no écran era demasiado mau. Nem porno nem erótico. Uma merda.
Entretanto aproximava-se a hora de comer para depois ir ao show do Bar Europa.
Fizemo-lo tragando um hamburger, com mais cebola que carne e pão juntos, numa lojeca que tinha o balcão à face da rua.
Demos mais uma voltinha e ainda n√£o eram nove horas j√° est√°vamos a comprar a entrada para o espect√°culo do Europa.
Uma das empregadas vestindo, como as outras, um curt√≠ssimo vestido preto e um avental branco rendado, indicou-nos uma mesa. Pedimos uma cerveja cada um. Vieram dois canec√Ķes que dariam para a noite inteira se o conte√ļdo n√£o ficasse quente e portanto intrag√°vel.
E começou o espectáculo!
Eram seis raparigas que executavam v√°rios n√ļmeros porno (n√£o entravam todas no mesmo quadro: umas vezes eram duas, outras tr√™s, outras quatro...).
Meu Deus!
Nunca tinha visto daquilo!
Elas exibiam-se total e despudoradamente para uma assistência quasi totalmente masculina.
E quando uma delas resolve pegar numa longa boquilha e tirar umas fumaças vaginais fazendo rodelas de fumo, os espectadores aplaudiram delirantemente e em pé tão notável feito.
Tamb√©m aparecia, de vez em quando, um artista com aspecto de australopiteco que deveria usar da sua virilidade para ajudar o desempenho das actrizes mas o homem devia andar a trabalhar muito pois a fraca actua√ß√£o do seu falo deixou o p√ļblico fulo.
E estivemos naquilo até à uma da manhã.
Mas o gozo maior foi quando contamos a aventura na Kaiserstrasse aos nossos colegas. Alguns decidiram que da próxima iriam comigo e com o Jacinto.
E dois deles foram: em Amsterdam.
Registado
Goreti Dias
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 18339
Convidados: 994



WWW
« Responder #1 em: Setembro 22, 2007, 08:04:11 »

Bela capacidade descritiva! Um belo episódio...
Registado

Goretidias

 Todos os textos registados no IGAC sob o n√ļmero: 358/2009 e 4659/2010
Antonio
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 723
Convidados: 0



WWW
« Responder #2 em: Setembro 22, 2007, 08:21:07 »

Nos textos que tenho deixado por aqui aparecem muitas visualiza√ß√Ķes mas quasi ningu√©m comenta.
Será timidez ou nem sequer lêem?
Registado
Goreti Dias
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 18339
Convidados: 994



WWW
« Responder #3 em: Setembro 22, 2007, 11:25:42 »

Não te sei responder... Creio que se aparece visualizado foi porque leram. Mas há pessoas que não gostam de comentar ou não têm tempo. Eu tento comentar o que me é possível porque, por sinal, até gosto.
Um abraço
Registado
Antonio
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 723
Convidados: 0



WWW
« Responder #4 em: Setembro 23, 2007, 21:06:45 »

Obrigado pelo coment√°rio!
Todos os textos que tenho colocado no Escritartes j√° foram antes publicados nos meus blogs.
Este e outros relacionados com a viagem de curso, por exemplo, tiveram dezenas de coment√°rios (40 a 50).
Actualmente escrevo essencialmente fic√ß√£o e os textos s√£o ainda mais longos. Tenho menos coment√°rios, mas o n√ļmero de leitores √©, segundo a minha estimativa e atendendo aos n√ļmeros apresentados pelo totalizador de visitantes (considerando que s√≥ l√™em metade dos que visitam), de mais de 50 por dia, o que deve dar um total de mais de 200 leitores por post.
O problema n√£o est√° no tamanho dos textos pois s√£o quasi todos de leitura escorreita e f√°cil.
Em alguns casos em que a prosa √© demasiado longa fa√ßo a divis√£o por partes postando em ocasi√Ķes diferentes.
Também assim fiz quando publiquei as quatro novelas sendo que a mais extensa tinha 24 partes.
Em suma:
Agrade√ßo a sugest√£o mas penso que n√£o √© o tamanho dos textos que impede a sua leitura (se √© que n√£o s√£o lidos, pois s√£o dos que tem mais visualiza√ß√Ķes).
Finalmente, acho que textos como estes perderiam muito interesse se n√£o fossem apresentados no seu todo.
Neste momento tenho exactamente 250 posts publicados desde 7 de Fevereiro de 2005, sendo todos originais.
Peço desculpa mas aproveitei para fazer um bocadinho de propaganda...ah ah ah
Sauda√ß√Ķes
Registado
Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Parcerias
Buffering...Buffering...

O seu destaque aqui...
Recentemente
[Novembro 21, 2019, 15:19:54 ]

[Novembro 11, 2019, 11:36:25 ]

[Novembro 11, 2019, 11:34:42 ]

[Novembro 11, 2019, 11:34:19 ]

[Novembro 11, 2019, 11:33:39 ]

[Novembro 07, 2019, 20:15:24 ]

[Novembro 07, 2019, 20:13:24 ]

[Novembro 07, 2019, 16:47:55 ]

[Novembro 01, 2019, 19:06:32 ]

[Novembro 01, 2019, 14:05:06 ]
Membros
Total de Membros: 791
Ultimo: Bruna Brunelleshi
Estatísticas
Total de Mensagens: 127991
Total de Tópicos: 26248
Online hoje: 166
Máximo Online: 630
(Março 31, 2019, 09:49:42 )
Utilizadores Online
Users: 0
Convidados: 181
Total: 181
Últimas 30 mensagens:
Novembro 12, 2019, 18:18:18
um abraço para a administração, para quem dinamiza este espaço, seja como escritor, como leitor, como comentador.
Novembro 12, 2019, 18:15:54
margarida, plenamente de acordo.
Novembro 11, 2019, 11:31:31
Bom dia. Se todos fizerem igual, n√£o h√° coment√°rios.
Novembro 09, 2019, 14:53:10
Oi Dion√≠sio. Obrigado pelo teu coment√°rio. Desculpa eu ser relapso a fazer muitos coment√°rios. Evito-os, para n√£o  louvar uns ou criticar outros. Prefiro ficar na minha, ficar no que me parece. O meu principio geral: escrever, quem l√™ l√™, quem n√£o l√™ n√£o l√™. Ponto. Leio poesia d'outros, m
Novembro 01, 2019, 14:41:40
Boa tarde  todos. Os que est√£o e os que vir√£o.
Outubro 31, 2019, 14:58:38
Parabéns, Figas. Parabéns a todos os que lêem e que escrevem, parabéns a todos os que partilham escritas e comentários.
 
Outubro 10, 2019, 12:24:06
Bom dia. Hoje, andaei a pastar pelas 351 páginas da poesia e encontrei 32 poemas meus, milionários de leituras. com média de 1209 leituras cada. Obrigado a todos os meus contribuintes de lucros poéticos. FigasAbração, a todos. Nota: O Campeão é o Linguagem Decente, com 3692 leituras.Viva a D
Julho 29, 2019, 22:55:56
Olá para todos! Boas histórias e boas escritas!
Julho 02, 2019, 07:05:22
Bom dia!
Junho 28, 2019, 14:37:28
Boa tarde. Hoje, apeteceu-me saudar todos os que aqui tentam p√īr arte na pena. Figasabra√ßo
Maio 18, 2019, 19:22:13
Ol√°! Boa leitura e boa escrita para todos!
Maio 01, 2019, 17:26:47
Boa escrita e boa leitura para todos!
Março 30, 2019, 10:37:35
Boas leituras e boas escritas para todos!
Janeiro 27, 2019, 19:36:43
Boa noite feliz para todos.
Janeiro 11, 2019, 09:21:27
Ol√° para todos!
Dezembro 24, 2018, 21:55:27
Boas Festas.
Novembro 03, 2018, 14:19:38
Claro que sim, Mateus. Vamos lá puxar pelos neurónios?
Novembro 01, 2018, 18:36:27
Ol√° para todos!
Novembro 01, 2018, 15:51:21
A ideia com que fiquei em conversas, era a de que se pretendia fazer, uma sequela do "esfaqueador". Agora estou baralhado.
Outubro 31, 2018, 18:31:48
Temos um tópico em aberto "sem título". Podem entrar. A ideia é fazer algo ao jeito do Esfaqueador da Régua. Estão convidados!
Setembro 12, 2018, 14:34:00
Esfaqueador da Régua, aqui nascido, terá o seu lançamento na Feira do livro do Porto, dia 21 de Setembro.
Julho 04, 2018, 13:54:05
Bom dia.
Março 01, 2018, 20:26:58
Boa noite!
Dezembro 30, 2017, 21:19:00
Ol√°, amigos do Escritartes!
Dezembro 27, 2017, 09:04:13
Boas Festas!
Dezembro 21, 2017, 10:51:56
Ol√° para todos! Desde j√°, um feliz natal e um 2018 de novas escritas!
Novembro 11, 2017, 17:23:12
Boa tarde a todos! Votos de muita inspiração na nobre arte da escrita.
Outubro 25, 2017, 10:20:24
Meu bom dia a todos!
Julho 18, 2017, 20:17:24
Ol√° para todos! Boas escritas!
Logos
Buffering...

Firefox 2 xspf player AJAX powered Powered by MySQL 5 Powered by PHP 5 Powered by HoneyPot project Hacker Trap
CSS Valid CSS 2.0 Valid RSS 1.0 Valid RSS 2.0 Valid XHTML Valid
Powered by SMF 1.1.20 | SMF © 2006-2007, Simple Machines
TinyPortal v0.9.8 © Bloc
Página criada em 0.128 segundos com 29 procedimentos.