EscritArtes
Novembro 15, 2019, 23:15:51 *
Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Notícias: Regulamento do site
http://www.escritartes.com/forum/index.php/topic,9145.0.html
 
  Início   Fórum   Ajuda Entrar Registe-se   *
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Estava-se marimbando... "Sofia"  (Lida 3036 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Mel de Carvalho
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 1660
Convidados: 0


"abra√ßa o conte√ļdo e n√£o a forma" Saint-Exupery


WWW
« em: Agosto 26, 2009, 18:02:55 »

Estava-se marimbando. Nitidamente marimbando.
Sorriu intimamente. Há quanto tempo não lhe vinha à cabeça aquela palavra? Dezenas de anos, largas dezenas de anos. Tantas quantos os que haviam passado desde que aquela cidade deixara de ser palco de aprendizagem e passara a ser tão-só palco de passagem.
De paragem por vezes (escassas) na √©poca da Feira de Outubro, na √©poca do Colete Encarnado. E, por fim, de visita ami√ļde √†quele hospital.
Detestava-o. Ali deixara para os encontrar mortos, ambos os pais. √Čpocas diferente. Doen√ßas diferentes. Mas incur√°veis. E o vazio pungente da orfandade. Como doen√ßa insan√°vel com que tinha de, todos os dias, conviver.
[Como é que se mata a saudade mãe? Como é que se mata a saudade, pai?]
E ali voltava por circunst√Ęncias an√°logas: familiares. Tios, primos. Uma infind√°vel cadeia de afectos que se quebravam.
Estava-se pois, marimbando. N√£o adiantava o corta e solda, o pinga aqui, remenda dacol√°. Todas as teorias do re-arranjo sabia-as na carne de que apenas adiavam a partida. Previamente marcada a cruzinhas por um Deus desconhecido num qualquer calend√°rio escondido do seu olhar. Mas agendado. Sem direito a altera√ß√Ķes de datas, de decalagem, de dias de compensa√ß√£o, porroga√ß√£o e etc. Data fixa, portanto!

Aconchegou a mala bege contra o colo. Sentada na esplanada do mercado, tentava ocupar-se a imaginar as vidas para além das janelas fechadas daquela hora. O calor Ribatejano impunha o recolhimento dos espécimes. Senis na sua maioria. Envelhecidos como frontarias dos prédios circundantes. Um apenas de traça antiga, à sua direita, reconstruído recentemente por cima do que fora uma casa de penhores. A cor rosácea. Rosa velho. Para não destoar dos demais...
Abriu-se uma porta-janela. Uma mulher a rondar os cinquenta (assim parecia) em trajes de "andar por casa" ocupou uma das cadeira de verga da varanda. Viu-a sentar, abrir o jornal (dali não sabia qual, imaginou o Expresso, pelo tamanho…).
Desejou ser "a mulher". Não por coisa nenhuma de especial, mas porque e só porque, estava em casa, lia, aparentemente pacificada e a ela o fim de tarde estava destinado a ser preenchido por uma não desejada tarefa: visita hospitalar…

Estava-se marimbando.
Comeria o bolo, de nozes e mel, beberia o suco natural. Que se lixasse. O que fosse depois, seria. Estava saturada de se privar. Comeria sim.
- desculpe, quando a senhora chegou ainda estavam nessa mesa as pessoas, por isso não retirei a loiça…
Sorriu. Respondeu monossil√°bica:
- não tem mal…
Embrenhou-se no saboreio lento das nozes trucidadas. Tentou que as papilas gustativas lhe devolvessem est√≠mulos. Compensa√ß√Ķes‚Ķ sensa√ß√Ķes.
Nada. Comeu mecanicamente. Como se, por proibido, desaconselhado, enfim, o organismo sequer valorizasse os alimentos. Marimbou-se, portanto. Comeu. Ponto. At√© √† √ļltima migalha, at√© √† √ļltima gota. Bebeu.

Apertou a mala. Ali dentro o seu destino nos próximos tempos misturado com as quinquilharias do costume. E os livros, e as canetas. E o telemóvel que não servia para coisa alguma. O do trabalho estava desligado, o pessoal, pensou, melhor seria que o aventasse definitivamente ao lago dos patos no jardim…
Detestou-se…
Teria de ali permanecer por mais uns minutos. Ela e o bolo. Ela e o suco… mais nada.

De s√ļbito o toque. Um passe doble, uma m√ļsica de tourada. Alta, incomodativa, rugiu que nem uma trovoada. Ou uma manada de bois soltos no largo da pra√ßa...
S√≥ ent√£o os viu. Estavam na mesa ao lado. Dois. A meia idade estampada no ‚Äúsal e pimenta‚ÄĚ, as Le Coq Sportif, os sapatinhos de vela ‚Ķ
A conversa:
- ...claro que estou com o Serafim, minha linda, o que é que achas? Queres que to passe? Duvidas de mim? Eu passo e já vês se tem voz de gaja…
- ... daqui a vinte minutos. Tens saudades do je, tens, meu amor??? ... J√° me contas isso tudo...
n√£o, n√£o posso ficar hoje para jantar...

Os risos. Os engates. O telemóvel agora desligado…

- tá caída, a gaja. Caídinha. Andam todas à babuje e um tipo tem de lhes dar linha… corda, se é que entendes…
- a tua mulher?...
- ...coitada. Está doente. As mulheres se não tivessem barriga eram eternas…. Ainda bem que têm e que um gajo tem sempre trabalhos fora…e longe.
- a que horas chegas a casa?
-ó pá, sei lá … quando chegar chego. Ela espera sempre… Telefono-lhe mais logo. Agora estou a trabalhar, bem vês…

Serafim, assim designado havia minutos, esbo√ßava um sorriso sacana‚Ķ. Porfiava o bigode fora de moda, desonante com o xadrez da ‚Äú Le Coq Sportif‚ÄĚ. A espuma da imperial a amarelar a boca.
- fazes bem, p√°. Marimba-te nisso. Como os meus filhos dizem, ‚Äúa malta tem de curtir uma beca‚ÄĚ. Puta que as pariu, est√£o sempre doentes, porra‚Ķ o que vale s√£o estas, s√£s que nem um p√™ro‚Ķe boas como a p√™ra rocha. Tudo tem um pre√ßo, porra. Estas valem... se valem...

Sopia levantou-se. O relógio marcava as 18.15. Dali ao Hospital, escassos minutos.
Estava-se marimbando. Fazia parte do grupo das ‚Äún√£o-s√£s que nem um p√™ro‚Ä̂Ķ. Bom seria que nenhum gajo se tentasse afiambrar. Poderia ficar envenenado, deu-se consigo a pensar‚Ķ
E, pensando bem, estava-se mesmo marimbando para que morressem no veneno que eles mesmo destilavam.
O seu destino, o dela, Sopia, estava dentro da mala que agora balouçava livre e serena na ponta dos dedos…
Elevou-se no porte, balançou os cabelos, ergueu o queixo, avant-garde...
   Caminhou a tarde. Marimbou-se no restante.

___
Tag: contosdemulheres
publicado em http://noitedemel.blogspot.com/2009/08/estava-se-marimbando-sopia.html

Registado

Mel de Carvalho
www.noitedemel.blogs.sapo.pt
www.noitedemel.blogspot.com (apenas prosa)

Mais sobre mim: http://www.escritartes.com/forum/index.php?page=20
____
MT.ATEN√á√ÉO: C√ďPIAS TOTAIS OU PARCIAIS EM BLOGS OU AFINS S√ď C/AUTORIZA√á√ÉO EXPRESSA
Burity
Novo por c√°
*
Offline Offline

Mensagens: 11
Convidados: 0


« Responder #1 em: Agosto 26, 2009, 18:14:41 »

Gostei muito do texto! Abraço.
Registado
Mel de Carvalho
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 1660
Convidados: 0


"abra√ßa o conte√ļdo e n√£o a forma" Saint-Exupery


WWW
« Responder #2 em: Agosto 27, 2009, 11:35:17 »

Caro Burity,
sou-lhe grata pela leitura, pelas palavras.
Fraterno abraço
Mel
Registado
josé antonio
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 5837
Convidados: 0


escrever é um acto de partilha


« Responder #3 em: Agosto 27, 2009, 16:44:20 »

Mel,

Belo pedaço de narrativa a não perder e reler...
Abraço
Registado
Dionísio Dinis
Moderador Global
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 9498
Convidados: 0



WWW
« Responder #4 em: Agosto 29, 2009, 20:58:19 »

A qualidade ímpar a que já nos habituou, volta mais uma vez a estar bem patente neste belíssimo naco de prosa.
Bem-haja amiga Mel pela partilha.
Registado

Pensar amar-te, é ter o acto na palavra e o coração no corpo inteiro.
http://www.escritartes.com/forum/index.php
Goreti Dias
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 18339
Convidados: 994



WWW
« Responder #5 em: Agosto 29, 2009, 21:41:26 »

Eu é que fiquei sem entender o que aconteceu ao meu comentário ao texto... fui a primeira a comentá-lo!

Com a rudeza da realidade, a simplicidade estudada das palavras necessárias. E bem distribuídas por um texto com a qualidade só tua.
beijo
Registado

Goretidias

 Todos os textos registados no IGAC sob o n√ļmero: 358/2009 e 4659/2010
gdec2001
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 2063
Convidados: 0



« Responder #6 em: Agosto 29, 2009, 22:34:07 »

Um bom pedaço de vida . Gostei
seu
Geraldes de Carvalho
Registado

Geraldes de Carvalho
http://gdecseeufossfosse-gdec.blogspot.pt
          -este √© meu blog-
Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Parcerias
Buffering...Buffering...

O seu destaque aqui...
Recentemente
[Novembro 11, 2019, 11:36:25 ]

[Novembro 11, 2019, 11:34:42 ]

[Novembro 11, 2019, 11:34:19 ]

[Novembro 11, 2019, 11:33:39 ]

[Novembro 07, 2019, 20:15:24 ]

[Novembro 07, 2019, 20:13:24 ]

[Novembro 07, 2019, 16:47:55 ]

[Novembro 01, 2019, 19:06:32 ]

[Novembro 01, 2019, 14:05:06 ]

[Outubro 31, 2019, 22:15:42 ]
Membros
Total de Membros: 791
Ultimo: Bruna Brunelleshi
Estatísticas
Total de Mensagens: 127990
Total de Tópicos: 26247
Online hoje: 201
Máximo Online: 630
(Março 31, 2019, 09:49:42 )
Utilizadores Online
Users: 0
Convidados: 175
Total: 175
Últimas 30 mensagens:
Novembro 12, 2019, 18:18:18
um abraço para a administração, para quem dinamiza este espaço, seja como escritor, como leitor, como comentador.
Novembro 12, 2019, 18:15:54
margarida, plenamente de acordo.
Novembro 11, 2019, 11:31:31
Bom dia. Se todos fizerem igual, n√£o h√° coment√°rios.
Novembro 09, 2019, 14:53:10
Oi Dion√≠sio. Obrigado pelo teu coment√°rio. Desculpa eu ser relapso a fazer muitos coment√°rios. Evito-os, para n√£o  louvar uns ou criticar outros. Prefiro ficar na minha, ficar no que me parece. O meu principio geral: escrever, quem l√™ l√™, quem n√£o l√™ n√£o l√™. Ponto. Leio poesia d'outros, m
Novembro 01, 2019, 14:41:40
Boa tarde  todos. Os que est√£o e os que vir√£o.
Outubro 31, 2019, 14:58:38
Parabéns, Figas. Parabéns a todos os que lêem e que escrevem, parabéns a todos os que partilham escritas e comentários.
 
Outubro 10, 2019, 12:24:06
Bom dia. Hoje, andaei a pastar pelas 351 páginas da poesia e encontrei 32 poemas meus, milionários de leituras. com média de 1209 leituras cada. Obrigado a todos os meus contribuintes de lucros poéticos. FigasAbração, a todos. Nota: O Campeão é o Linguagem Decente, com 3692 leituras.Viva a D
Julho 29, 2019, 22:55:56
Olá para todos! Boas histórias e boas escritas!
Julho 02, 2019, 07:05:22
Bom dia!
Junho 28, 2019, 14:37:28
Boa tarde. Hoje, apeteceu-me saudar todos os que aqui tentam p√īr arte na pena. Figasabra√ßo
Maio 18, 2019, 19:22:13
Ol√°! Boa leitura e boa escrita para todos!
Maio 01, 2019, 17:26:47
Boa escrita e boa leitura para todos!
Março 30, 2019, 10:37:35
Boas leituras e boas escritas para todos!
Janeiro 27, 2019, 19:36:43
Boa noite feliz para todos.
Janeiro 11, 2019, 09:21:27
Ol√° para todos!
Dezembro 24, 2018, 21:55:27
Boas Festas.
Novembro 03, 2018, 14:19:38
Claro que sim, Mateus. Vamos lá puxar pelos neurónios?
Novembro 01, 2018, 18:36:27
Ol√° para todos!
Novembro 01, 2018, 15:51:21
A ideia com que fiquei em conversas, era a de que se pretendia fazer, uma sequela do "esfaqueador". Agora estou baralhado.
Outubro 31, 2018, 18:31:48
Temos um tópico em aberto "sem título". Podem entrar. A ideia é fazer algo ao jeito do Esfaqueador da Régua. Estão convidados!
Setembro 12, 2018, 14:34:00
Esfaqueador da Régua, aqui nascido, terá o seu lançamento na Feira do livro do Porto, dia 21 de Setembro.
Julho 04, 2018, 13:54:05
Bom dia.
Março 01, 2018, 20:26:58
Boa noite!
Dezembro 30, 2017, 21:19:00
Ol√°, amigos do Escritartes!
Dezembro 27, 2017, 09:04:13
Boas Festas!
Dezembro 21, 2017, 10:51:56
Ol√° para todos! Desde j√°, um feliz natal e um 2018 de novas escritas!
Novembro 11, 2017, 17:23:12
Boa tarde a todos! Votos de muita inspiração na nobre arte da escrita.
Outubro 25, 2017, 10:20:24
Meu bom dia a todos!
Julho 18, 2017, 20:17:24
Ol√° para todos! Boas escritas!
Logos
Buffering...

Firefox 2 xspf player AJAX powered Powered by MySQL 5 Powered by PHP 5 Powered by HoneyPot project Hacker Trap
CSS Valid CSS 2.0 Valid RSS 1.0 Valid RSS 2.0 Valid XHTML Valid
Powered by SMF 1.1.20 | SMF © 2006-2007, Simple Machines
TinyPortal v0.9.8 © Bloc
Página criada em 0.16 segundos com 29 procedimentos.