EscritArtes
Dezembro 06, 2019, 08:06:36 *
Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Notícias: Regulamento do site
http://www.escritartes.com/forum/index.php/topic,9145.0.html
 
  Início   Fórum   Ajuda Entrar Registe-se   *
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Parábola das tristes décadas  (Lida 4684 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
carlossoares
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 2702
Convidados: 0



WWW
« em: Janeiro 01, 2011, 12:48:42 »

«Há trinta e cinco anos que vocês nos manipulam, nos dominam, nos mentem,nos omitem, nos  desprezam.
Há trinta e cinco anos que nos roubam, não só os bens imediatos de que carecemos, como a esperança que alimenta as almas e favorece os sonhos.
Há trinta e cinco anos que cometem o pior dos pecados, aquele que consiste na imolação da nossa vida em favor da vossa gordura.
Há trinta e cinco anos que traem a Deus e aos homens, sem que a vossa boca se encha da lama da mentira.
Há trinta e cinco anos que criam legiões e legiões de desempregados, de desesperados, de açoitados pelo azorrague da vossa indignidade.
Há trinta e cinco anos que tripudiam sobre o que de mais sagrado existe em nós.
Há trinta e cinco anos que embalam as dores de duas gerações de jovens, e atiram-nos para as drogas, para o álcool, para uma existência sem rumo, sem direcção e sem sentido.
Há trinta e cinco anos que caminham, altaneiros e desprezíveis, pelo lado oposto ao das coisas justas.
Há trinta e cinco anos que são desonrados, torpes, vergonhosos e impróprios.
Há trinta e cinco anos que, nas vossas luras e covis, se acoitam os mais indecentes dos canalhas.
Há trinta e cinco anos que se alternam no mando, e o mando é a distribuição de benesses, prebendas, privilégios entre vocês.
Há trinta e cinco anos que fazem subir as escarpas da miséria e da fome milhões de pessoas que em vocês melancolicamente continuam a acreditar.
Há trinta e cinco anos que se protegem uns aos outros, que se não incriminam, que se resguardam, que se enriquecem, que não permitem que uns e outros sejam presos por crimes inomináveis.
Há trinta e cinco anos que vocês são sempre os mesmos, embora com rostos diferentes.
Há trinta e cinco anos que os mesmos jornais, sendo outros, e os mesmos jornalistas de outra configuração, sendo a mesma, disfarçam as vossas infâmias, ocultam as vossas ignomínias, dissimulam a dimensão imensa dos vossos crimes.
Há trinta e cinco anos sem vergonha, sem pudor, sem escrúpulo e sem remorso.
Há trinta e cinco anos que não estão dispostos a defender coisa alguma que concilie o respeito mútuo com a dimensão colectiva.
Há trinta e cinco anos que praticam o desacato moral contra a grandeza da justiça e a elevação do humano.
Há trinta e cinco anos que, com minúcia e zelo, construíram um país só para vocês.
Há trinta e cinco anos que moldaram a exclusão social, que esculpiram as várias faces da miséria e, agora, sem recato e sem pejo, um de vocês faz o discurso da indignação.
Há trinta e cinco anos começaram a edificar o medo, e o medo está em todo o lado: nas oficinas, nos escritórios, nos entreolhares, nas frases murmuradas, na cidade, na rua. O medo está vigilante. E está aqui mesmo, ao nosso lado.
Há trinta e cinco anos encenaram e negociaram, conforme a situação, o modo de criar novas submissões e impor o registo das variantes que vos interessavam.
Há trinta e cinco anos engendraram, sobre as nossas esperanças confusas, uma outra história natural da pulhice.
Há trinta e cinco anos que traíram os testamentos legados, que traíram os vossos mortos, que traíram os vossos mártires.
Há trinta e cinco anos que asfixiam o pensamento construtivo; que liquidaram as referências norteadoras; que escarneceram da nossa pessoal identidade; que a vossa ascensão não corresponde ao vosso mérito; que ignoram a conciliação entre semelhança e diferença; que condenam a norma imperativa do equilíbrio social.
Riam-se, riam-se. Vocês são uma gente que não presta para nada; que não vale nada.
Malditos sejam!»

Baptista Bastos, jornalista e escritor português, assina coluna no Jornal de Negócios

« Última modificação: Janeiro 01, 2011, 20:01:51 por carlossoares » Registado

Carlos Ricardo Soares
Oswaldo Eurico Rodrigues
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 6039
Convidados: 0


Amo a Literatura e as artes.


« Responder #1 em: Janeiro 02, 2011, 01:27:20 »

Temos de resistir de alguma forma. Parece uma luta hercúlea. E é.
Registado

Oswaldo Eurico Rodrigues


Escrevo também nos sites Recanto das Letras (www.recantodasletras.com.br)
Goreti Dias
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 18361
Convidados: 994



WWW
« Responder #2 em: Janeiro 06, 2011, 17:54:03 »

E não é que continuamos apenas a contar o tempo?!
Registado

Goretidias

 Todos os textos registados no IGAC sob o número: 358/2009 e 4659/2010
Tere Tavares
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 924
Convidados: 0



WWW
« Responder #3 em: Abril 25, 2011, 22:16:37 »

Tristes tempos que não findam.
Registado

Escreve também no blog:
http://m-eusoutros.blogspot.com
Todos os textos registrados nº 540.178 livro 1027 folha 386.
Escritório de Direitos Autorais - Biblioteca Nacional
Maria del Mar
Membro da Casa
****
Offline Offline

Mensagens: 378
Convidados: 0


« Responder #4 em: Maio 11, 2014, 20:33:17 »

E tem razão Sad Sad Sad Sad
Registado
Conceição Constantino
Membro da Casa
****
Offline Offline

Mensagens: 286
Convidados: 0


« Responder #5 em: Junho 17, 2014, 18:34:01 »

Passados mais alguns, continua a ser verdade :help: :help: :help:
Registado
Dionísio Dinis
Moderador Global
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 9508
Convidados: 0



WWW
« Responder #6 em: Junho 17, 2014, 20:59:03 »

Faz muito tempo que temos nas mãos a maneira de mudar estes tempos!
Registado

Pensar amar-te, é ter o acto na palavra e o coração no corpo inteiro.
http://www.escritartes.com/forum/index.php
Tere Tavares
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 924
Convidados: 0



WWW
« Responder #7 em: Julho 16, 2015, 18:01:11 »

...mas os tempos não mudam quando não mudam os homens... na verdade o tempo é inocente; o homem culpado, mente sempre.
Registado
Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Recentemente
[Dezembro 05, 2019, 20:56:58 ]

[Dezembro 05, 2019, 20:52:18 ]

[Dezembro 05, 2019, 19:40:27 ]

[Dezembro 05, 2019, 19:39:51 ]

[Dezembro 05, 2019, 19:38:48 ]

[Dezembro 05, 2019, 19:37:57 ]

[Dezembro 05, 2019, 19:36:15 ]

[Dezembro 04, 2019, 17:50:50 ]

[Dezembro 04, 2019, 17:18:17 ]

[Dezembro 04, 2019, 17:17:11 ]
Membros
Total de Membros: 791
Ultimo: Bruna Brunelleshi
Estatísticas
Total de Mensagens: 128040
Total de Tópicos: 26259
Online hoje: 170
Máximo Online: 630
(Março 31, 2019, 09:49:42 )
Utilizadores Online
Users: 0
Convidados: 207
Total: 207
Últimas 30 mensagens:
Dezembro 02, 2019, 21:57:04
Boa noite feliz para todos.
Dezembro 01, 2019, 19:51:29
Boa noite feliz para todos
Dezembro 01, 2019, 18:52:15
Boa noite!
Novembro 29, 2019, 20:32:37
Boa noite feliz para todos.
Novembro 29, 2019, 17:37:17
Boa tarde!
Novembro 29, 2019, 17:35:53
Boa tarde a todos!
Novembro 12, 2019, 18:18:18
um abraço para a administração, para quem dinamiza este espaço, seja como escritor, como leitor, como comentador.
Novembro 12, 2019, 18:15:54
margarida, plenamente de acordo.
Novembro 11, 2019, 11:31:31
Bom dia. Se todos fizerem igual, não há comentários.
Novembro 09, 2019, 14:53:10
Oi Dionísio. Obrigado pelo teu comentário. Desculpa eu ser relapso a fazer muitos comentários. Evito-os, para não  louvar uns ou criticar outros. Prefiro ficar na minha, ficar no que me parece. O meu principio geral: escrever, quem lê lê, quem não lê não lê. Ponto. Leio poesia d'outros, m
Novembro 01, 2019, 14:41:40
Boa tarde  todos. Os que estão e os que virão.
Outubro 31, 2019, 14:58:38
Parabéns, Figas. Parabéns a todos os que lêem e que escrevem, parabéns a todos os que partilham escritas e comentários.
 
Outubro 10, 2019, 12:24:06
Bom dia. Hoje, andaei a pastar pelas 351 páginas da poesia e encontrei 32 poemas meus, milionários de leituras. com média de 1209 leituras cada. Obrigado a todos os meus contribuintes de lucros poéticos. FigasAbração, a todos. Nota: O Campeão é o Linguagem Decente, com 3692 leituras.Viva a D
Julho 29, 2019, 22:55:56
Olá para todos! Boas histórias e boas escritas!
Julho 02, 2019, 07:05:22
Bom dia!
Junho 28, 2019, 14:37:28
Boa tarde. Hoje, apeteceu-me saudar todos os que aqui tentam pôr arte na pena. Figasabraço
Maio 18, 2019, 19:22:13
Olá! Boa leitura e boa escrita para todos!
Maio 01, 2019, 17:26:47
Boa escrita e boa leitura para todos!
Março 30, 2019, 10:37:35
Boas leituras e boas escritas para todos!
Janeiro 27, 2019, 19:36:43
Boa noite feliz para todos.
Janeiro 11, 2019, 09:21:27
Olá para todos!
Dezembro 24, 2018, 21:55:27
Boas Festas.
Novembro 03, 2018, 14:19:38
Claro que sim, Mateus. Vamos lá puxar pelos neurónios?
Novembro 01, 2018, 18:36:27
Olá para todos!
Novembro 01, 2018, 15:51:21
A ideia com que fiquei em conversas, era a de que se pretendia fazer, uma sequela do "esfaqueador". Agora estou baralhado.
Outubro 31, 2018, 18:31:48
Temos um tópico em aberto "sem título". Podem entrar. A ideia é fazer algo ao jeito do Esfaqueador da Régua. Estão convidados!
Setembro 12, 2018, 14:34:00
Esfaqueador da Régua, aqui nascido, terá o seu lançamento na Feira do livro do Porto, dia 21 de Setembro.
Julho 04, 2018, 13:54:05
Bom dia.
Março 01, 2018, 20:26:58
Boa noite!
Powered by MySQL 5 Powered by PHP 5 CSS Valid
Powered by SMF 1.1.20 | SMF © 2006-2007, Simple Machines
TinyPortal v0.9.8 © Bloc
Página criada em 0.214 segundos com 28 procedimentos.