EscritArtes
Dezembro 13, 2019, 02:37:29 *
Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Notícias: Regulamento do site
http://www.escritartes.com/forum/index.php/topic,9145.0.html
 
  Início   Fórum   Ajuda Entrar Registe-se   *
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Em Las Palmas  (Lida 1123 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Antonio
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 723
Convidados: 0



WWW
« em: Abril 09, 2008, 17:02:22 »

Tendo terminado os meus estudos em Outubro de 1972, tinha por objectivo prioritário cumprir o serviço militar para depois encetar uma carreira profissional.
Estava a fazer o estágio obrigatório de três meses (e ao mesmo tempo a tentar ganhar umas coroas vendendo uns apartamentos do Algarve - como não vendi nenhum, não ganhei nada -), quando fui informado de que estavam a iniciar-se os exames do concurso para oficiais da Reserva Naval, que era o curso de oficiais milicianos da Armada.
Sabia que era uma das melhores maneiras de fazer a tropa. √Čramos alojados na Escola Naval, no Alfeite (juntamente com os cadetes que durante quatro anos faziam a prepara√ß√£o para uma carreira na Marinha de Guerra), e tratados como gente fina. Empregadas para fazer as camas e arrumar os quartos, refei√ß√Ķes magn√≠ficas com dois pratos, ao almo√ßo de quinta-feira havia direito a um c√°lice de Porto e a um bolo. Enfim, tudo do bom e do melhor!
Pelo que estou a dizer, já adivinharam que de facto, em Fevereiro, mesmo à justa com o fim do tal estágio, fui para a conhecida Escola da margem esquerda do estuário do Tejo para cumprir seis meses de formação.
Ainda passei um mês em Vila Franca de Xira, no Grupo 1 de Escolas da Armada. Aí não tínhamos alojamentos suficientes e com o mínimo de qualidade e resolvi alugar um quarto cá fora. Pago pelo papá, pois claro!
No fim desse meio ano (de bastante estudo, diga-se de passagem), iniciamos uma viagem de instru√ß√£o, que durou cerca de tr√™s semanas, na fragata Roberto Ivens. √Čramos quarenta cadetes.
A viagem decorreu em Agosto e a primeira etapa foi uma ida à bela Ilha de S. Miguel, nos Açores.
Depois fomos até Mindelo, na ilha de S. Vicente, em Cabo Verde.
E regressamos por Las Palmas, na Gran Canaria.

Vou ater-me ao que se passou em Las Palmas.
Atracamos ao fim da tarde. A previs√£o era ficarmos ali duas noites e um dia.
Logo que tivemos autorização fomos para terra. Todos com a alva farda de Verão (a de Inverno é azul-marinho e muito mais bonita; com a outra parecemos uns sorveteiros), saímos como se fossemos um bando de pombos e depois fomo-nos dividindo progressivamente em grupos cada vez menores.
Acabei por ficar só com o Ferreira. Este colega era ainda mais pequenino e mais feio do que eu e caminhava meio encurvado.
Comemos qualquer coisa e depois demos umas voltas pelas animadas ruas desta cidade que, como √© sabido, vive do turismo. Mas o facto de andar vestido segundo os c√Ęnones militares era bastante inibidor.
Não sendo oficiais de carreira, aquilo era, para nós, um fardo, bem mais que uma farda.
A certa altura vimos que, num dos muitos bares e casas de divers√£o nocturnas que por l√° havia, entrava um grupo de quatro raparigas muito bonitas e boazonas.
- Ora vamos l√° entrar aqui para ver o ambiente. Mas cheira-me que √© coisa que vale a pena! ‚Äď disse o habitual promotor destas visitas nocturnas, ou seja, eu.
Entramos. A luminosidade era tão escassa que durante muitos segundos estivemos a aguardar que os olhos se habituassem ao escuro. Um elegante e altíssimo empregado veio ter connosco e convidou-nos a sentar numa poltrona com uma mesa ao pé. Pedimos uma cerveja cada um. Bem fresca.
Conforme íamos vendo melhor todo o requintado ambiente, mais a nossa curiosidade ia sendo desperta. As mesas ocupadas, não muitas, eram-no por mulheres. Umas mais novas, outras já quarentonas avançadas. Esquisito. Não havia homens como clientes. Entretanto foram entrando também alguns sujeitos, vestidos de fato de corte impecável, altos e magros, verdadeiros modelos ou galãs de Hollywood. Ficavam em pé mas, de quando em quando, um ou outro ia para as mesas das clientes.
De repente, um deles saiu com uma das veraneantes. Pouco depois outro saiu com duas.
Bom! Aquilo era uma casa de ataque invertida. Um refinado prostíbulo para damas.
Estava bem claro no nosso espírito que tínhamos entrado no local errado.
Mas…e se tentássemos a nossa sorte?
Pois logo entrou um grupo de cinco ou seis clientes que, por mero acaso, se sentaram muito perto de nós. Passados alguns minutos, começamos a meter conversa. Mas não tínhamos outra resposta que uma olhadela para a nossa triste figura. E depois vinham os gigolos e as meninas eram só sorrisos.
Pouco depois viemos embora. A ferida no orgulho de machos latinos era t√£o profunda que fomos para o navio dormir.
Decididamente, n√£o nasci para prostituto!

No dia seguinte, acordei bem cedo.
Feita a higiene habitual, peguei num saco e fui sozinho para a praia. Pouco passava das oito da manhã. O areal, enorme, estava deserto. Pude olhar para a ilha e constatar que era de uma aridez confrangedora. Tudo aquilo é artificial. Beleza natural: zero!
Estendi-me e rapidamente adormeci (devia estar ainda em convalescença da profunda ferida sofrida na noite anterior).
Quando acordei, seriam umas onze horas, só via pessoas à minha volta. Areia, mais nenhuma para além da que estava junto a mim. Vesti-me (desta vez uma roupinha normal que tinha trazido no saco de praia) e só com muita perícia vim para a marginal sem ter pisado ninguém.
Deambulei pelas ruas até encontrar um grupo de camaradas. Alguns também vinham vestidos normalmente. Atrelei-me a eles.
Almoçamos e depois fomos fazer umas compras.
Numa das lojas, uma boutique, uma senhora de fino porte fez questão de nos apresentar a sua filha Juanita pois ela gostava muito de marinheiros, tendo alguns de nós cumprimentado a jovem com um beijinho (e eu fui um deles). Só que, de perto, podia verificar-se que a donzela tinha barba e, quando proferiu umas amistosas palavras, a voz era bem mais grave do que se poderia esperar. Era um travesti! Confesso que lamentei a mãe, que tinha de fazer um papel que, certamente, lhe seria penoso. Mas filho é filho, não é?

E nada mais digno de registo, pelo menos que eu me lembre, se passou.
As ocorrências não tinham sido das mais agradáveis.
Foi regressar a bordo, retomar a vida normal, dormir e, na manhã seguinte, rumar às Ilhas Selvagens onde um pequeno grupo de tripulantes foi até aos rochedos em missão de soberania. Parece ser um protocolo a cumprir para manter aquele pequeníssimo território, desabitado, como património português.
E depois regressar ao Alfeite para iniciar umas merecidas férias. Sim, férias! Porque isto de andar no mar alto, com o navio sempre a baloiçar, ora levanta a proa ora a popa, ora inclina para estibordo ora para bombordo, é cansativo. Juro!
Mas também é porreiro!

(escrito em 13 de Julho de 2005)
« Última modificação: Abril 09, 2008, 17:09:18 por Antonio » Registado
Goreti Dias
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 18368
Convidados: 994



WWW
« Responder #1 em: Abril 09, 2008, 18:40:06 »

Então só o travesti gostava de marinheiros... mas olha que os marinheiros costumam ser bem atraentes!
Um abraço
« Última modificação: Abril 11, 2008, 22:07:38 por goretidias » Registado

Goretidias

 Todos os textos registados no IGAC sob o n√ļmero: 358/2009 e 4659/2010
Antonio
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 723
Convidados: 0



WWW
« Responder #2 em: Abril 11, 2008, 20:50:53 »

Eu era...ah ah ah
Beijos
Registado
britoribeiro
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 659
Convidados: 0



WWW
« Responder #3 em: Abril 12, 2008, 11:49:14 »

Ent√£o a "menina" tinha barba?!!!
Ainda não havia a Corporation Dermoestética...

Abraço
Registado

Antonio
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 723
Convidados: 0



WWW
« Responder #4 em: Abril 15, 2008, 07:55:36 »

Mas havia l√Ęminhas...

Abraço
Registado
Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Recentemente
[Dezembro 11, 2019, 19:36:51 ]

[Dezembro 10, 2019, 20:07:44 ]

[Dezembro 10, 2019, 19:09:30 ]

[Dezembro 10, 2019, 19:08:41 ]

[Dezembro 10, 2019, 19:06:50 ]

[Dezembro 10, 2019, 19:05:38 ]

[Dezembro 10, 2019, 18:11:15 ]

[Dezembro 10, 2019, 17:46:25 ]

[Dezembro 10, 2019, 17:45:09 ]

[Dezembro 10, 2019, 17:43:28 ]
Membros
Total de Membros: 791
Ultimo: Bruna Brunelleshi
Estatísticas
Total de Mensagens: 128058
Total de Tópicos: 26259
Online hoje: 190
Máximo Online: 630
(Março 31, 2019, 09:49:42 )
Utilizadores Online
Users: 0
Convidados: 194
Total: 194
Últimas 30 mensagens:
Dezembro 06, 2019, 20:13:01
Boa noite feliz para todos
Dezembro 02, 2019, 21:57:04
Boa noite feliz para todos.
Dezembro 01, 2019, 19:51:29
Boa noite feliz para todos
Dezembro 01, 2019, 18:52:15
Boa noite!
Novembro 29, 2019, 20:32:37
Boa noite feliz para todos.
Novembro 29, 2019, 17:37:17
Boa tarde!
Novembro 29, 2019, 17:35:53
Boa tarde a todos!
Novembro 12, 2019, 18:18:18
um abraço para a administração, para quem dinamiza este espaço, seja como escritor, como leitor, como comentador.
Novembro 12, 2019, 18:15:54
margarida, plenamente de acordo.
Novembro 11, 2019, 11:31:31
Bom dia. Se todos fizerem igual, n√£o h√° coment√°rios.
Novembro 09, 2019, 14:53:10
Oi Dion√≠sio. Obrigado pelo teu coment√°rio. Desculpa eu ser relapso a fazer muitos coment√°rios. Evito-os, para n√£o  louvar uns ou criticar outros. Prefiro ficar na minha, ficar no que me parece. O meu principio geral: escrever, quem l√™ l√™, quem n√£o l√™ n√£o l√™. Ponto. Leio poesia d'outros, m
Novembro 01, 2019, 14:41:40
Boa tarde  todos. Os que est√£o e os que vir√£o.
Outubro 31, 2019, 14:58:38
Parabéns, Figas. Parabéns a todos os que lêem e que escrevem, parabéns a todos os que partilham escritas e comentários.
 
Outubro 10, 2019, 12:24:06
Bom dia. Hoje, andaei a pastar pelas 351 páginas da poesia e encontrei 32 poemas meus, milionários de leituras. com média de 1209 leituras cada. Obrigado a todos os meus contribuintes de lucros poéticos. FigasAbração, a todos. Nota: O Campeão é o Linguagem Decente, com 3692 leituras.Viva a D
Julho 29, 2019, 22:55:56
Olá para todos! Boas histórias e boas escritas!
Julho 02, 2019, 07:05:22
Bom dia!
Junho 28, 2019, 14:37:28
Boa tarde. Hoje, apeteceu-me saudar todos os que aqui tentam p√īr arte na pena. Figasabra√ßo
Maio 18, 2019, 19:22:13
Ol√°! Boa leitura e boa escrita para todos!
Maio 01, 2019, 17:26:47
Boa escrita e boa leitura para todos!
Março 30, 2019, 10:37:35
Boas leituras e boas escritas para todos!
Janeiro 27, 2019, 19:36:43
Boa noite feliz para todos.
Janeiro 11, 2019, 09:21:27
Ol√° para todos!
Dezembro 24, 2018, 21:55:27
Boas Festas.
Novembro 03, 2018, 14:19:38
Claro que sim, Mateus. Vamos lá puxar pelos neurónios?
Novembro 01, 2018, 18:36:27
Ol√° para todos!
Novembro 01, 2018, 15:51:21
A ideia com que fiquei em conversas, era a de que se pretendia fazer, uma sequela do "esfaqueador". Agora estou baralhado.
Outubro 31, 2018, 18:31:48
Temos um tópico em aberto "sem título". Podem entrar. A ideia é fazer algo ao jeito do Esfaqueador da Régua. Estão convidados!
Setembro 12, 2018, 14:34:00
Esfaqueador da Régua, aqui nascido, terá o seu lançamento na Feira do livro do Porto, dia 21 de Setembro.
Julho 04, 2018, 13:54:05
Bom dia.
Powered by MySQL 5 Powered by PHP 5 CSS Valid
Powered by SMF 1.1.20 | SMF © 2006-2007, Simple Machines
TinyPortal v0.9.8 © Bloc
Página criada em 0.13 segundos com 30 procedimentos.