EscritArtes
Maio 23, 2018, 08:48:20 *
Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Notícias: Regulamento do site
http://www.escritartes.com/forum/index.php/topic,9145.0.html
 
  Início   Fórum   Ajuda Entrar Registe-se   *
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Viagens de comboio  (Lida 532 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Nação Valente
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Mensagens: 955
Convidados: 0


outono


« em: Fevereiro 08, 2018, 22:49:29 »

No comboio dos atrasos vai gente que a gente esquece
Vai quem nunca chega a horas e às vezes nem aparece
Devagar devagarinho eu conheço tantos casos
De quem passa a vida inteira não comboios dos atrasos

                       Sebastião Antunes

No tempo, quase mítico, em que os comboios chegavam até a sitos recônditos de Portugal, eu fazia viagens com minha avó. Para ela, eram viagens de saudade para rever os filhos e os outros netos, que as distâncias, hoje curtas, tornavam difícil. Para mim, ainda não cota, nem diano, ia pelo prazer de sair daquele horizonte limitado, por serras que nos encerravam num microcosmos, só quebrado pelas ondas hertzianas, que moravam na taberna (chamada venda) do Armandinho, digo senhor Armandinho. (dobra a língua dizia a avó)
Saíamos, na velha camioneta, quando a luz jorrava por detrás dos montes, onde fora repousar das agruras de um dia duro. Depois de horas de sobe e desce, onde parecia que os serros é que se deslocavam, chegávamos à antiga Pax Júlia romana, hoje dita Beja. Aí repousávamos numa pensão familiar, onde os hóspedes transitórios seroavam contando histórias de vida, algumas mirabolantes, que muito me encantavam.
Ao romper de mais um dia íamos até à estação ferroviária, onde as locomotivas, expelindo fumo, como fumador viciado, se preparavam para rebocar carruagens cheias de vidas em movimento. Anciãos com os seus fatos de serrobeco, velhas senhoras com os seus longos vestidos de chita, e o inseparável lenço na cabeça, algumas damas de ouro e alguns valetes aperaltados, dividiam-se no cais para tomarem o seu lugar. Nós íamos na carruagem de terceira, com bancos de pau envernizado. Outros iam em segunda ou em primeira de acordo com as suas posses, mas todos partíamos e chegávamos à mesma hora.
Quando o chefe da estação levantava a bandeira e soprava um apito estridente para dar a partida, aquela geringonça, gemia num som de ferros que se afagavam, e arrancava aos solavancos como se tivesse pouca vontade de ir a algum sítio. Depois, a pouco e pouco, “pouca terra, pouca terra”, ganhava confiança e velocidade, deixando espantada a passarada, que pousava sem pagar bilhete no seu telhado. O fumo saído da chaminé da máquina, escorria ao lado das janelas, sobre as quais era proibido debruçarmo-nos. Um vendedor de tecidos, muito viajado, entretinha os outros passageiros, com as suas aventuras ferroviárias. Uma delas deixava-me, na minha ingenuidade verdadeiramente  assustado. Dizia o fulano, que um dia o comboio se incendiou, e que teve de saltar pela janela, mas acentuava, só depois de atirar o fardo de fazendas, a sua riqueza e porque isso sim tinha que se salvar.
Na nossa viagem tínhamos de mudar pelo menos duas vezes de comboio, informação que a minha avó, semianalfabeta, mas muito desenrascada, conhecia a preceito. Nunca se enganou, num transbordo. A técnica dela era simples: quando chegava a uma estação de mudança, perguntava a um funcionário, a que horas e em que linha parava o nosso comboio. Recebida a resposta, voltava a fazer a mesma pergunta a outros ferroviários. Não haja dúvidas, método científico infalível. Só depois de testar a informação, várias vezes, com o mesma  resposta estava garantido o resultado.

Neste comboio, ronceiro, não havia muitos atrasos, nem gente que andava sempre atrasada. E se em cada estação mudavam as pessoas continuava a mesma convivência simples e despretensiosa. Era um país sem pressas, que ali viajava, mas que chegava sempre a qualquer lugar. Não havia cotas e muito menos dianos. Havia velhos, moços, de todos os géneros e feitios , bias, tós, chicos, manéis, zés, como este escriba, com pouco ou nenhum tempo,  para estados d`alma depressivos. Palavra de escuteiro do
Cota-diano
E para quem gosta de uma canção tradicional, aqui vai o link: o comboio da Beira Baixa:

https://www.youtube.com/watch?v=sWD5tTipi60
« Última modificação: Fevereiro 09, 2018, 18:15:10 por Nação Valente » Registado
Goreti Dias
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 18264
Convidados: 994



WWW
« Responder #1 em: Fevereiro 09, 2018, 20:19:50 »

Agora até as viagens são apressadas. E as informações erradas!
Registado

Goretidias

 Todos os textos registados no IGAC sob o número: 358/2009 e 4659/2010
carlossoares
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 2623
Convidados: 0



WWW
« Responder #2 em: Fevereiro 10, 2018, 23:14:38 »


Nação Valente,

ao ler este texto, que só podia ser escrito por alguém que viveu, senão o que relata, nos ambientes que descreve, reconheço que já tive saudades desse passado em que as viagens eram verdadeiras aventuras e descobertas inesquecíveis. Mais que livros, mais que escolas, mais que brincadeiras e jogos, as viagens de comboio, ao Porto, a Espinho, a Santarém, quando era criança com menos de dez anos, faziam-me sonhar e deixaram-me a sonhar para o resto da vida. E não é fácil tentar compreender porquê. Mas de tudo isso, que não era depressivo, bem pelo contrário, com o passar do tempo, só posso ter pensamentos depressivos.
Registado

Carlos Ricardo Soares
Nação Valente
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Mensagens: 955
Convidados: 0


outono


« Responder #3 em: Fevereiro 13, 2018, 21:19:41 »

Meus amigos animem-se, pois com a possibilidade de haver teletransportação, quem sabe se não poderemos voltar a viajar, nesses tempos, em universos paralelos.
Registado
Goreti Dias
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 18264
Convidados: 994



WWW
« Responder #4 em: Fevereiro 16, 2018, 07:07:45 »

Bem visto!
Registado
Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Parcerias
Buffering...Buffering...

O seu destaque aqui...
Recentemente
[Hoje às 08:42:23]

[Maio 22, 2018, 18:48:28 ]

[Maio 21, 2018, 19:35:44 ]

[Maio 21, 2018, 19:20:46 ]

[Maio 21, 2018, 19:19:31 ]

[Maio 19, 2018, 22:14:27 ]

[Maio 16, 2018, 23:50:56 ]

[Maio 16, 2018, 23:07:55 ]

[Maio 07, 2018, 23:02:05 ]

[Maio 06, 2018, 21:05:09 ]
Membros
Total de Membros: 791
Ultimo: Bruna Brunelleshi
Estatísticas
Total de Mensagens: 127225
Total de Tópicos: 25932
Online hoje: 171
Máximo Online: 368
(Novembro 05, 2009, 22:05:48 )
Utilizadores Online
Users: 1
Convidados: 160
Total: 161
Últimas 30 mensagens:
Março 01, 2018, 20:26:58
Boa noite!
Dezembro 30, 2017, 21:19:00
Olá, amigos do Escritartes!
Dezembro 27, 2017, 09:04:13
Boas Festas!
Dezembro 21, 2017, 10:51:56
Olá para todos! Desde já, um feliz natal e um 2018 de novas escritas!
Novembro 11, 2017, 17:23:12
Boa tarde a todos! Votos de muita inspiração na nobre arte da escrita.
Outubro 25, 2017, 10:20:24
Meu bom dia a todos!
Julho 18, 2017, 20:17:24
Olá para todos! Boas escritas!
Abril 11, 2017, 14:47:44
Boa tarde a todos
Abril 01, 2017, 20:52:08
Boa noite e um bom fim de semana para todos vocês.
Abril 01, 2017, 20:52:05
Boa noite e um bom fim de semana para todos vocês.
Fevereiro 22, 2017, 07:23:30
Bom dia!
Dezembro 24, 2016, 22:23:10
Boas Festas para todos os que por aqui navegam.
Dezembro 24, 2016, 11:32:23
Desejos de Bom Natal, PAZ, Amor e uns trocados. FigasAbraço a todos
Setembro 08, 2016, 19:38:09
Já está publicada a lista final de autores para a coletânea - 129
Setembro 07, 2016, 20:57:46
Boa noite a todos.
Setembro 06, 2016, 18:31:36
Boa tarde a todos
Setembro 01, 2016, 15:26:02
OLÁ!!!
Agosto 24, 2016, 05:49:47
Bom dia a todos
Agosto 04, 2016, 08:39:17
bom dia a todos
Julho 08, 2016, 18:22:38
Olá, Alice e Nação Valente!
Junho 13, 2016, 12:51:19
Em fase final de seleção de textos para a rádio. Inscreva-se!
Maio 30, 2016, 16:17:57
Apagamos o pdf, Nelson.
Maio 30, 2016, 16:13:58
Nelson, vamos apagar a sua resposta pois expôs os seus dados publicamente. Essa ficha deve ser mandada por mail para administracaoescritartes@gmail.com
Maio 13, 2016, 21:41:50
Boa noite. Há que ror de horas nada ponho aqui. Hoje, choveu para cima. FigasRgds
Abril 08, 2016, 20:16:46
Olá para todos! Boas escritas e formidáveis leituras para todos!
Março 27, 2016, 08:51:07
Páscoa feliz!
Março 27, 2016, 08:50:45
Bom dia!
Fevereiro 17, 2016, 20:00:55
Não consigo aceder à caixa de comentários do "Esfaqueador da Régua". Alerta de spammer. Que fazer?
Fevereiro 01, 2016, 21:16:09
Boas leituras e melhores escritas
Fevereiro 01, 2016, 21:16:08
Boas leituras e melhores escritas
Logos
Buffering...

Firefox 2 xspf player AJAX powered Powered by MySQL 5 Powered by PHP 5 Powered by HoneyPot project Hacker Trap
CSS Valid CSS 2.0 Valid RSS 1.0 Valid RSS 2.0 Valid XHTML Valid
Powered by SMF 1.1.20 | SMF © 2006-2007, Simple Machines
TinyPortal v0.9.8 © Bloc
Página criada em 0.138 segundos com 28 procedimentos.