EscritArtes
Setembro 25, 2020, 19:27:59 *
Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Notícias: Regulamento do site
http://www.escritartes.com/forum/index.php/topic,9145.0.html
 
  Início   Fórum   Ajuda Entrar Registe-se   *
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: António Zambujo vence 31.ª Edição do Prémio José Afonso (PJA)  (Lida 529 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Dionísio Dinis
Moderador Global
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 9532
Convidados: 0



WWW
« em: Dezembro 04, 2019, 10:56:56 »

O júri do Prémio José Afonso 2019, constituído pela pianista Olga Prats (convidada pela autarquia), pelo professor de música Sérgio Azevedo (indicado pela Escola Superior de Música de Lisboa), e Júlio Pereira (vencedor do PJA 2018), deliberou – por unanimidade – atribuir o prémio ao álbum “Do Avesso”, de António Zambujo.

Também por unanimidade, resolveu o júri recomendar a atribuição de Menções Honrosas aos seguintes álbuns (por ordem alfabética dos seus autores):

Camané: “Infinito Presente”
Carminho: “Maria”
Sérgio Godinho: “Nação Valente”
Sopa de Pedra: “Ao longe já se ouvia”

O júri considerou que este álbum representa “não só a continuação do percurso extremamente coerente de António Zambujo, mas também um ponto alto pela confirmação das suas qualidades interpretativas e a grande inspiração criativa que revela”. Como referiram ainda os jurados, “cada canção de Zambujo conta uma história, e cada álbum é, em si, uma história, na linha de José Afonso, para quem a música estava intrinsecamente ligada quer à sua vida interior quer às circunstâncias do mundo em que viveu”.

O PJA é promovido pela Câmara Municipal da Amadora desde 1988 e tem como objetivo homenagear o cantor e compositor português José Afonso e incentivar a criação musical de raiz portuguesa, ao premiar um álbum inédito, editado no ano anterior ao da edição do Prémio, cujo tema tenha como referência a Cultura e a História portuguesas. O álbum vencedor recebe da autarquia o prémio de cinco mil euros.

Álbum Do Avesso, de António Zambujo | Sinopse
“Do Avesso” é o novo álbum de António Zambujo que, à semelhança dos seus discos anteriores, é agora apresentado em palcos do mundo inteiro. Ao oitavo álbum, o músico voltou a reinventar-se e alargou as fronteiras da sua linguagem musical recorrendo à participação da Orquestra Sinfonietta de Lisboa e ao contributo de três dos mais talentosos músicos e produtores nacionais: Nuno Rafael, Filipe Melo e João Moreira. A digressão “Do Avesso” conta com sete músicos em palco e convida o público a celebrar as canções mais recentes e os novos arranjos dos temas que já se tornaram clássicos na carreira de António Zambujo.
Texto: Sons em Trânsito
Sobre António Zambujo | Biografia reduzida
António Zambujo permanece como um dos maiores representantes da música, cultura e língua portuguesas além-fronteiras e continua há anos numa quase ininterrupta digressão internacional. João Gobern, conceituado jornalista e crítico de música português escreveu recentemente sobre o percurso único do músico e o seu mais recente disco, “Do Avesso”.
«Há o direito e o avesso. A cara e a coroa. O Yin e o Yang. Depois, felizmente para nós todos, há aqueles que, por talento e convicção, por mérito e trabalho, nos vão demonstrando que o mundo não avança a preto e branco mas a muitas cores, múltiplos tons e diferentes matizes, e que as pontes e as sínteses são possíveis e recomendáveis.(…) O resto é aquilo que já sabemos e que esta caminhada singular nos vem permitindo fixar: que António Zambujo nasceu em Beja, Alentejo, a 19 de setembro de 1975. Que atravessou uma auspiciosa e sólida infância musical – começou a estudar clarinete com apenas oito anos – e uma adolescência muito ativa nesta atividade que se tornaria o seu ofício, que acabou por fixar-se em Lisboa, onde dividiu o tempo pela experiência diária do fado e pela investida em musicais, garantindo de imediato os primeiros dados que haveriam de o fazer chegar ao lugar, tão difícil como desinteressante de “localizar” onde hoje se encontra. Estreou-se nos discos em 2002 e começou uma impressionante série de prémios e outras distinções, com natural destaque para a comenda da Ordem do Infante D. Henrique, que lhe é entregue pelo Presidente da República (em 2015). Vai-se evidenciando a sua tendência, natural e não estratégica, para não escolher uma “via única” (nem rápida) nas suas abordagens musicais: se regista em disco o convite a um grupo (Angelite) de Vozes Búlgaras, nunca disfarça uma pulsão pela música do Brasil.
A sua voz leva mesmo a uma declaração enlevada de Caetano Veloso: “Quero ouvir mais, mais vezes, mais fundo (…) É de arrepiar e fazer chorar”. Com as edições internacionais dos seus álbuns, vai marcando pontos no riquíssimo e infinito universo da world music, um cadinho em que se privilegia o direito à diferença, mas nunca se afasta verdadeiramente do planeta Portugal, em que – como vimos – não estabelece nem pratica distinções académicas de género. O carinho do público e o reconhecimento da crítica vão crescendo, sem pressas mas com a cadência desejada pelo próprio cantor, que se desdobra em concertos e festivais, em Portugal e um pouco por toda a parte, com destaque para o Brasil, mas em destinos tão aparentemente improváveis como a Dinamarca, a Noruega, o Azerbeijão, Israel ou a Bulgária. Esta internacionalização justifica outros sabores para a rica “ementa” de António Zambujo – e aí fica, como paradigma, a nomeação do disco Até Pensei Que Fosse Minha para o Grammy Latino, em 2017, na categoria de Melhor Disco de MPB.
O cancioneiro multifacetado, estimulante, tão tranquilo na forma como inquieto no conteúdo, de António Zambujo ganha um novo capítulo que, insiste-se, não precisa de rasgar para inovar, seguindo à risca as pulsões de um intérprete e autor que, a cada etapa, se tem valorizado – talvez por não se deixar prender demasiado a raízes óbvias mas limitadoras do talento e da vontade, e procurar, ao invés, dar sempre frutos sumarentos e de travo inesperado. É o oitavo disco de estúdio que o artista publica e, sabendo que o oito é o número da sorte para os chineses, fica claro que, neste particular, a “sorte grande” ganha contornos muito mais globais, porque nos toca a todos. Mais: numa época em que aprendemos a estimar e defender os nossos direitos, ganhamos outro objetivo – fazer finca-pé pelo nosso direito ao (Do) Avesso.»
Texto: Sons em Trânsito
Sobre o Prémio José Afonso
Instituído em 1988 pela Câmara Municipal da Amadora, o Prémio José Afonso é atribuído a um álbum editado no ano anterior ao da edição do Prémio.
Tem como objetivo homenagear o cantor e compositor português José Afonso, preservando e perpetuando a obra do autor do célebre tema “Grândola Vila Morena”.
Visa ainda incentivar a criação musical de raiz portuguesa, galardoando temas que tenham como referência a Cultura e a História Portuguesas.

Histórico
Lista de Álbuns Premiados | Prémio José Afonso

1988 – Para além das Cordilheiras – Fausto
1989 – Negro Fado – Vitorino
1990 – Aos Amores – Sérgio Godinho
1991 – Janelas Verdes – Júlio Pereira
1992 – Correspondências – José Mário Branco
1993 – Eu Que Me Comovo Por Tudo E Por Nada – Vitorino e António Lobo Antunes
1994 – Tinta Permanente – Sérgio Godinho
1995 – Traz Os Montes – Né Ladeiras
1996 – Maio Maduro Maio – José Mário Branco, Amélia Muge E João Afonso
1997 – Polas Ondas – Vai de Roda
1998 – Bocas do Inferno – Gaiteiros de Lisboa
1999 – Taco A Taco – Amélia Muge
2000 – O Primeiro Canto – Dulce Pontes
2001 – Vozes do Sul – Janita Salomé
2002 – Jorge Palma – Jorge Palma
2003 – Nove Fados E Uma Canção De Amor – Carlos do Carmo
2004 – À Porta Do Mundo – Filipa Pais
2005 – Torna Viagem – José Medeiros
2006 – não foi atribuído
2007 – Ceia Louca – Brigada Victor Jara
2008 – Senhor Poeta – Frei Fado d’El Rei
2009 – Chão – Mafalda Veiga
2010 – Solo II – António Pinho Vargas
2011 – Dois selos e um carimbo – Deolinda
2012 – não foi atribuído
2013 – Demudado em tudo – 4uatro Ao Sul
2014 – Gisela João – Gisela João
2015 – Atlantic Beat / Mad”in Portugal – O’queStrada
2016 – Mundo – Mariza
2017 – O Horizonte – Teresa Salgueiro
2018 – Praça Do Comércio – Júlio Pereira
2019 – Do Avesso – António Zambujo
Registado

Pensar amar-te, é ter o acto na palavra e o coração no corpo inteiro.
http://www.escritartes.com/forum/index.php
Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Recentemente
[Hoje às 19:06:35]

[Hoje às 18:16:05]

[Hoje às 18:11:45]

[Hoje às 16:21:54]

[Setembro 23, 2020, 19:19:52 ]

[Setembro 23, 2020, 19:17:49 ]

[Setembro 18, 2020, 14:05:13 ]

[Setembro 18, 2020, 12:08:48 ]

[Setembro 15, 2020, 12:22:19 ]

[Setembro 14, 2020, 15:31:46 ]
Membros
Total de Membros: 791
Ultimo: Bruna Brunelleshi
Estatísticas
Total de Mensagens: 128674
Total de Tópicos: 26420
Online hoje: 218
Máximo Online: 630
(Março 31, 2019, 09:49:42 )
Utilizadores Online
Users: 1
Convidados: 240
Total: 241
Últimas 30 mensagens:
Abril 04, 2020, 09:57:10
Bom dia para todos!
Março 20, 2020, 15:06:31
Olá para todos!
Março 19, 2020, 22:59:05
Olá para todos! Espero que estejam bem, na medida do possível!
Fevereiro 18, 2020, 18:50:53
Olá Margarida. Seja bem aparecida.
Fevereiro 18, 2020, 18:41:32
Boas!
Fevereiro 10, 2020, 19:37:51
Boa noite!
Janeiro 29, 2020, 20:06:36
Oi pessoal. FigasAbraço
Janeiro 27, 2020, 20:16:38
Boa noite a todos
Janeiro 15, 2020, 17:52:14
Boa tarde a todos
Janeiro 10, 2020, 14:03:15
Boa tarde a todos
Janeiro 06, 2020, 14:46:26
Boa tarde a todos
Janeiro 01, 2020, 20:02:37
Bom ano feliz para todos.
Janeiro 01, 2020, 10:32:02
Bom Ano!
Dezembro 18, 2019, 16:48:08
Boa tarde!
Dezembro 06, 2019, 20:13:01
Boa noite feliz para todos
Dezembro 02, 2019, 21:57:04
Boa noite feliz para todos.
Dezembro 01, 2019, 19:51:29
Boa noite feliz para todos
Dezembro 01, 2019, 18:52:15
Boa noite!
Novembro 29, 2019, 20:32:37
Boa noite feliz para todos.
Novembro 29, 2019, 17:37:17
Boa tarde!
Novembro 29, 2019, 17:35:53
Boa tarde a todos!
Novembro 12, 2019, 18:18:18
um abraço para a administração, para quem dinamiza este espaço, seja como escritor, como leitor, como comentador.
Novembro 12, 2019, 18:15:54
margarida, plenamente de acordo.
Novembro 11, 2019, 11:31:31
Bom dia. Se todos fizerem igual, não há comentários.
Novembro 09, 2019, 14:53:10
Oi Dionísio. Obrigado pelo teu comentário. Desculpa eu ser relapso a fazer muitos comentários. Evito-os, para não  louvar uns ou criticar outros. Prefiro ficar na minha, ficar no que me parece. O meu principio geral: escrever, quem lê lê, quem não lê não lê. Ponto. Leio poesia d'outros, m
Novembro 01, 2019, 14:41:40
Boa tarde  todos. Os que estão e os que virão.
Outubro 31, 2019, 14:58:38
Parabéns, Figas. Parabéns a todos os que lêem e que escrevem, parabéns a todos os que partilham escritas e comentários.
 
Outubro 10, 2019, 12:24:06
Bom dia. Hoje, andaei a pastar pelas 351 páginas da poesia e encontrei 32 poemas meus, milionários de leituras. com média de 1209 leituras cada. Obrigado a todos os meus contribuintes de lucros poéticos. FigasAbração, a todos. Nota: O Campeão é o Linguagem Decente, com 3692 leituras.Viva a D
Julho 29, 2019, 22:55:56
Olá para todos! Boas histórias e boas escritas!
Julho 02, 2019, 07:05:22
Bom dia!
Powered by MySQL 5 Powered by PHP 5 CSS Valid
Powered by SMF 1.1.20 | SMF © 2006-2007, Simple Machines
TinyPortal v0.9.8 © Bloc
Página criada em 0.25 segundos com 28 procedimentos.