EscritArtes
Setembro 23, 2020, 05:44:48 *
Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Notícias: Regulamento do site
http://www.escritartes.com/forum/index.php/topic,9145.0.html
 
  Início   Fórum   Ajuda Entrar Registe-se   *
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: The Catcher in the Rye  (Lida 1008 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Tim_booth
Contribuinte Activo
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 698
Convidados: 1


Queria escrever à velocidade com que penso.


WWW
« em: Novembro 19, 2008, 21:21:14 »

Citar
I was only thirteen, and they were going to have me psychoanalyzed and all, because I broke all the windows in the garage. I don't blame them. I really don't. I slept in the garage the night he died, and I broke all the goddam windows with my fist just for the hell of it.

- J. D. Salinger, The Catcher in the Rye



The Catcher in the Rye é um dos grandes clássicos norte-americanos do século XX e, provavelmente, o maior grito de revolta adolescente de sempre. Jerome David Salinger escreve aquilo que - magistralmente, diga-se - muitos de nós sentimos quando éramos adolescentes - se é que alguma vez deixamos de o ser ou sentir - e que se tornou num dos mais vendidos livros de sempre. Li-o no original inglês e aconselho, se puderem, a fazer o mesmo. Mais à frente perceberão porquê.

Holden Caufield é um adolescente problemático. Não porque seja mal-educado, mal comportado, ou simplesmente burro, mas porque não se consegue inserir na sociedade onde é forçado a viver. A história começa com mais uma expulsão de Holden de um colégio, - já perdeu as contas ao número de colégios que frequentou - o internato de Pensey, porque está prestes a chumbar a practicamente todas as suas cadeiras, com a excepção de Inglês. Holden, após uma discussão com o seu colega de quarto que tinha acabado de chegar de um encontro com uma das melhores amigas de Holden, decide sair de Pencey antes da data suposta e viajar para a sua cidade natal de New York. Sabia que se chegasse a casa antes da data em que os pais o esperavam teria de enfrentar a fúria deles, então preferiu esperar que eles fossem informados pela carta oficial da escola e ir para casa apenas quando fosse suposto ir. O livro conta as deambulações do jovem revoltado, enjoado aliás, pela cidade de New York durante os três dias em que não quer chegar a casa. Nesses dias ele encontra freiras com quem simpatiza, toma uns copos com um velho amigo, tem um encontro com uma antiga paixão, e faz tudo por tudo para conseguir falar com a pequena Pheobe de dez anos, a sua irmã mais nova e a ligação familiar mais forte, sem os pais descobrirem. Holden tem uma família peculiar, para além da irmã com quem tem um laço especial, tem um irmão mais velho, D. B., que é argumentista em Hollywood, e um irmão que morreu em criança, Allie, e cuja morte afectou-o intensamente. Holden tem uma visão muito depreciativa da vida e dos que o rodeiam, practicamente toda a gente é falsa e ele é incapaz de conseguir encontrar algo de que goste verdadeiramente na vida, além da irmã, o que o descarrega numa espiral depressiva e quase suicida. Holden tem também uma ambição curiosa, quando Pheobe lhe pergunta o que é que ele gostava mesmo de fazer mais tarde, ele responde que se imagina num campo de centeio à beira de um precipício, a tomar conta de crianças que lá brincam, impedindo-as de cair no abismo, um Catcher in the Rye, se quiserem.

O livro é surpreendentemente actual e é, de certa maneira, assustador pensar que as angústias adolescentes dos anos cinquenta são as mesmas de agora - com a diferença de que não são estupidificadas ou banalizadas, antes vistas de um prisma pessoal, pelo olhar certeiro de um adolescente fora do comum. Impossível, para mim pelo menos, não me rever em Holden quando era mais jovem, a total incompreensão das pequenas questõezinhas do mundo suposto adulto que me pareciam, e continuam a parecer, completamente falsas, desprovidas de significado e sinceridade.

A maneira como a desilusão de Holden é transmitida é abismal, como ele sentimo-nos sem saber muito bem para onde ir numa cidade tão grande como New York, e procuramos distrairmo-nos com questões infantis, Holden parece empenhado em descobrir o que acontece aos patos do Central Park quando chega o Inverno.

Todo o livro é um grande grito de ajuda, as páginas parecem gritar a questão das questões, qual é o sentido da vida, e obrigam o leitor a juntar-se ao coro. É uma terrível busca de significado e caminho, figuradas nas deambulações de um jovem perturbado pela morte do irmão nas ruas da Big Apple.

É muito curiosa a maneira como Salinger decidiu escrever o texto. Encontramos um vocabulário extremamente reduzido porque, como o próprio Holden admite, a extensão das suas palavras é curta. É uma escrita que transporta practicamente na perfeição o estilo coloquial do inglês norte-americano dos anos cinquenta, "Boy. I say boy a lot.", "Helluva time", "Goddam", "Chrissake" e outras expressões são aos milhares ao longo do texto o que, por incrível que pareça, não afectam a leitura de modo algum, antes pelo contrário, são capazes de nos emergir na 5th Avenue, no meio do trânsito, no Natal de 1951.

Salinger escreveu uma obra prima da literatura juvenil que urge ser lida por todos. Pergunto-me se não será até mais urgente que os adultos conheçam Holden Caufield. Para os adolescentes pode ser o sinal de que não estão sós e para os mais velhos um lembrete para refrear a falsidade em que constantemente são obrigados a mergulhar.


Escrito originalmente aqui.
Registado

Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Recentemente
[Setembro 20, 2020, 18:01:28 ]

[Setembro 20, 2020, 17:58:52 ]

[Setembro 19, 2020, 23:02:55 ]

[Setembro 18, 2020, 14:05:13 ]

[Setembro 18, 2020, 12:08:48 ]

[Setembro 15, 2020, 12:22:19 ]

[Setembro 14, 2020, 15:35:19 ]

[Setembro 14, 2020, 15:33:27 ]

[Setembro 14, 2020, 15:32:44 ]

[Setembro 14, 2020, 15:31:46 ]
Membros
Total de Membros: 791
Ultimo: Bruna Brunelleshi
Estatísticas
Total de Mensagens: 128667
Total de Tópicos: 26420
Online hoje: 244
Máximo Online: 630
(Março 31, 2019, 09:49:42 )
Utilizadores Online
Users: 0
Convidados: 215
Total: 215
Últimas 30 mensagens:
Abril 04, 2020, 09:57:10
Bom dia para todos!
Março 20, 2020, 15:06:31
Olá para todos!
Março 19, 2020, 22:59:05
Olá para todos! Espero que estejam bem, na medida do possível!
Fevereiro 18, 2020, 18:50:53
Olá Margarida. Seja bem aparecida.
Fevereiro 18, 2020, 18:41:32
Boas!
Fevereiro 10, 2020, 19:37:51
Boa noite!
Janeiro 29, 2020, 20:06:36
Oi pessoal. FigasAbraço
Janeiro 27, 2020, 20:16:38
Boa noite a todos
Janeiro 15, 2020, 17:52:14
Boa tarde a todos
Janeiro 10, 2020, 14:03:15
Boa tarde a todos
Janeiro 06, 2020, 14:46:26
Boa tarde a todos
Janeiro 01, 2020, 20:02:37
Bom ano feliz para todos.
Janeiro 01, 2020, 10:32:02
Bom Ano!
Dezembro 18, 2019, 16:48:08
Boa tarde!
Dezembro 06, 2019, 20:13:01
Boa noite feliz para todos
Dezembro 02, 2019, 21:57:04
Boa noite feliz para todos.
Dezembro 01, 2019, 19:51:29
Boa noite feliz para todos
Dezembro 01, 2019, 18:52:15
Boa noite!
Novembro 29, 2019, 20:32:37
Boa noite feliz para todos.
Novembro 29, 2019, 17:37:17
Boa tarde!
Novembro 29, 2019, 17:35:53
Boa tarde a todos!
Novembro 12, 2019, 18:18:18
um abraço para a administração, para quem dinamiza este espaço, seja como escritor, como leitor, como comentador.
Novembro 12, 2019, 18:15:54
margarida, plenamente de acordo.
Novembro 11, 2019, 11:31:31
Bom dia. Se todos fizerem igual, não há comentários.
Novembro 09, 2019, 14:53:10
Oi Dionísio. Obrigado pelo teu comentário. Desculpa eu ser relapso a fazer muitos comentários. Evito-os, para não  louvar uns ou criticar outros. Prefiro ficar na minha, ficar no que me parece. O meu principio geral: escrever, quem lê lê, quem não lê não lê. Ponto. Leio poesia d'outros, m
Novembro 01, 2019, 14:41:40
Boa tarde  todos. Os que estão e os que virão.
Outubro 31, 2019, 14:58:38
Parabéns, Figas. Parabéns a todos os que lêem e que escrevem, parabéns a todos os que partilham escritas e comentários.
 
Outubro 10, 2019, 12:24:06
Bom dia. Hoje, andaei a pastar pelas 351 páginas da poesia e encontrei 32 poemas meus, milionários de leituras. com média de 1209 leituras cada. Obrigado a todos os meus contribuintes de lucros poéticos. FigasAbração, a todos. Nota: O Campeão é o Linguagem Decente, com 3692 leituras.Viva a D
Julho 29, 2019, 22:55:56
Olá para todos! Boas histórias e boas escritas!
Julho 02, 2019, 07:05:22
Bom dia!
Powered by MySQL 5 Powered by PHP 5 CSS Valid
Powered by SMF 1.1.20 | SMF © 2006-2007, Simple Machines
TinyPortal v0.9.8 © Bloc
Página criada em 0.174 segundos com 28 procedimentos.